Posted by : Dento Sep 15, 2016


Após ganhar sua quinta insígnia, Ethan, junto a seus amigos Amy e Forrest, segue em direção à Cidade de Olivine. Amanhecia em Cianwood e, logo cedo, os garotos já estavam no porto da cidade. Aproveitando o lindo Sol que surgia no horizonte, os garotos estavam sentados em um dos bancos de madeira no píer próximo ao porto e aguardavam a chegada do S.S. Aqua. Finalmente, após dias, o navio estava totalmente reparado dos danos causados pelo ataque da Equipe Rocket próximo à Ilha dos Redemoinhos.

O céu estava gradiente. Tons de laranja, azul e vermelho se misturavam e deixavam o amanhecer ainda mais belo.

— E pensar que eu achava que o amanhecer só era bonito enquanto eu estava dormindo... — Comentou Ethan soltando um bocejo.
— Acho que muitas coisas maravilhosas acontecem enquanto a gente dorme. — Disse Forrest.
— Eu aproveito tudo nessa viagem. A vista, os amigos, as cidades... Quero guardar cada detalhe comigo. — Suspirou Amy, encantada.

Os garotos jogavam conversa fora esperando o tempo passar. O Sol já tomava conta do céu quando um rapaz apareceu correndo desesperado em direção ao píer do navio.

Ethan, Amy e Forrest olharam e se depararam com Joey, ofegante, acompanhado de Rattata.

— Hey, Joe. O que faz por aqui? — Questionou Ethan curioso.
— Eu... Dormi... Demais... E... Perdi... O... Navio... Pra... Oli... Vine... — O garoto mal conseguia falar. Apoiado em seus joelhos, deixava as gotas de suor escorrer até o chão.
— Relaxa, cara. O navio nem chegou ainda. — Respondeu Ethan.

Joey o encarou perplexo.

— N... N... Não?!
— Não. Estamos aqui desde as cinco da manhã. O navio sai às sete e meia. — Respondeu Forrest.
— Sim. Chegamos mais cedo pra evitar imprevistos. — Complementou Amy.

Joey sentou no chão e suspirou aliviado. Ethan retirou da mochila uma garrafa de água e a entregou para o garoto que virou-a de uma vez só.

Rattata também foi servido de uma porção de água fresca por Forrest, que colocou em uma das tampas das garrafas térmicas que o garoto sempre levava.

Joey e seu Pokémon levaram alguns minutos para recuperar-se totalmente da correria. Ao longe, o S.S. Aqua se aproximava do porto de Cianwood. Os garotos deixavam Joey informado sobre os acontecimentos da jornada desde a última vez em que se viram e o garoto ouvia atentamente.

— O que você faz aqui em Cianwood, Joey? — Perguntou Ethan.
— Eu? Ah, eu vim desafiar o Líder do Ginásio daqui. Eu já tenho seis insígnias. Mais duas e eu alcanço a Liga. Meu próximo objetivo é o Ginásio em Mahogany.

Ethan soltou uma sonora exclamação.

— Você já tem seis?! E eu ainda tenho cinco!

Joey deu um sorrisinho.

— Você tá ficando pra trás, manolinho.
— Pois saiba que eu só não batalho com você agora porque o navio já está chegando! Mas quando a gente desembarcar em Olivine, você não perde por esperar! — Bradou Ethan.
— Você não conseguiria peitar eu e Rattata. — Disse Joey em seu tom convencido de sempre.
— Ora, seu... — Ethan só não terminou seu xingamento porque foi interrompido pela grande sombra do S.S. Aqua aproximando-se do cais. A magnificência do navio fez todos ali soltarem um suspiro.

Rapidamente, uma fila de pessoas tomou conta do local. Os marinheiros do transatlântico logo desceram para auxiliar os passageiros com suas bagagens e seus aposentos.

Ethan, Amy e Forrest ficaram no mesmo quarto, na primeira classe. Joey, estava na classe econômica.

Passava das dez da manhã quando, após o café, foi solicitado que os treinadores Pokémon a bordo se dirigissem ao convés.

Em dez minutos, como solicitado, várias pessoas estavam reunidas no local combinado. Uma enorme cortina vermelha escondia o que seria a área das piscinas e os treinadores que iam chegando foram formando um enorme retângulo, cobrindo toda a extensão daquela área. Se entreolhando e comentando baixinho, eles aguardavam os alto-falantes anunciarem o que viria a seguir.

— Senhoras e senhores passageiros, devido ao incidente ocorrido na última viagem, nós do S.S. Aqua queremos nos redimir com todos vocês. Para isso, preparamos um torneio especial de batalhas e queremos que todos vocês participem! — Uma voz masculina ecoou por todos os lados. Os treinadores ouviam atentos a cada palavra e muitos pareciam confusos.
— Pera aí, os caras acabaram de reformar um navio chiquérrimo e querem fazer uma batalha Pokémon bem aqui?! Alguém não tá batendo bem da cabeça... — Comentou Ethan para os amigos.

O capitão do navio voltou a falar.

— Nós daremos um Lapras ao vencedor! Essa é uma oportunidade única para vocês conseguirem um Pokémon raríssimo! Então, por favor, que abram-se as cortinas!

O tecido vermelho veio ao chão e revelou as piscinas do navio. Os presentes descobriram que elas seriam os campos de batalha. Havia montada a área para os treinadores e uma pequena passarela onde os Pokémon que não sabiam nadar poderiam enfrentar seus oponentes. Haviam seis grandes piscinas ao total, uma próxima a outra, e o burburinho dos treinadores só foi aumentando.

— Um Lapras, hein? Seria uma excelente aquisição pro meu time. — Comentou Ethan.
— Bem... Acho que seria interessante. Faz tempo que eu não batalho contra alguém. — Disse Amy.
— Bem, já que vocês vão participar, eu quero também. — Sorriu Forrest.

Um homem baixinho, gorducho, calvo, de óculos escuros e vestido com uma roupa de marinheiro branca e uma boina em detalhes dourados aproximou-se com um microfone na mão. Passando por entre os treinadores, ele se dirigiu a uma das piscinas adaptadas e começou a discursar.

— Bom dia, treinadores! Eu sou o capitão do S.S. Aqua, Bob! Se estão aqui, é porque vocês querem este Lapras! — O capitão levantou uma das mãos e ergueu uma PokéBola, que cintilou ao receber a luz do sol. — Portanto, para começar, vamos fazer a primeira fase da competição, a fase “mata-mata”! Vocês poderão utilizar apenas um Pokémon e quem perder, TÁ FORA!

Um dos treinadores que prestava atenção no capitão ergueu a mão. Quando Bob o encarou, o jovem comentou.

— Somos muitos. Como faremos isso?

Bob soltou uma risada macabra.

— Hahahahaha! Façam uma fila! Quem for perdendo, volte aos quartos. Quem for ganhando, dirija-se à proa! Simples. Vamos começar isso, sim? Agora!

Os treinadores rapidamente formaram uma fila indiana. De dois em dois, eles se dirigiam a um dos campos disponíveis. Conforme iam perdendo a timidez, as batalhas iam começando, sempre com os olhares atentos de Bob e dos curiosos treinadores.

As batalhas iam se desenrolando de forma bastante irregular. Umas acabavam rápido. Outras, demoravam bem mais de dez minutos para serem concluídas. Entre treinadores habilidosos e novatos, Ethan ia percebendo diversas estratégias diferentes sendo utilizadas simultaneamente por quem batalhava, e isso acabou fazendo o garoto se interessar mais por aquilo, até mais do que o Lapras premiado.

Chegou a vez de Ethan. Ele duelaria contra a garota que estava a sua frente. Ao olhar para trás, ele percebeu que Amy batalharia contra Forrest e que, possivelmente, eles não tinham sacado isso ainda.

Os dois dirigiram-se até o campo de batalha. Ethan acabou reparando melhor na oponente. Ela, de fato, era muito bonita. Alta, seus cabelos lisos estavam penteados de uma maneira bastante original. As mechas soltas nos ombros harmonizavam com o cabelo da franja, que era penteado para o lado e terminava num coque perfeito amarrado atrás da cabeça. Ela era muito fechada e estava extremamente tímida por ser observada por aquelas pessoas. Ela cruzou as mãos na frente de seu corpo e ficou olhando para baixo, constrangida. Seu rosto angelical estava corado. Vestia uma camiseta azul estampada com dois Pikachu, que deixava seu ombro descoberto.  Usava uma calça legging preta e uma saia vermelha xadrez por cima e uma sapatilha também de cor azul.

O garoto aproximou-se da menina e estendeu a mão.

— Oi. Meu nome é Ethan. Como você se chama?

A garota pareceu corar mais ainda.

Mim serr Gabrrielle. — Respondeu a moça, com a voz fraca.
— Ora, não se acanhe. Você está entre amigos. E não parece ser daqui. — Disse Ethan com um sorriso.

Gabrielle o encarou pela primeira vez.

— Venho de Lumiosê, em Kalos. Você conhecer? — Ela tinha um forte sotaque francês.

Ethan não respondeu de imediato. Estava paralisado, encantado com a moça. Gabrielle o trouxe a realidade repetindo a pergunta.

— Quê? Ah, não, não... Eu nunca saí de Johto... — Respondeu o garoto sem graça.

Bob interrompeu a conversa dos dois.

— Muito bem, que comecem a batalha! — Berrou o capitão em seu microfone.

Ethan e Gabrielle se assustaram e ficaram sem graça. O garoto recuperou a concentração e sorriu para a oponente.

— Não se preocupe. Faça a melhor batalha que puder! Boa sorte.

Os dois tomaram seus lugares e pegaram suas PokéBolas. O escolhido de Ethan era Wooper. O de Gabrielle era um Pokémon azul, bípede que parecia um pato. Ele tinha olhos vermelhos, um bico de cor creme, e quatro espinhos na parte de trás de sua cabeça. Havia uma pequena pedra em sua testa.


Ethan imediatamente sacou a PokéAgenda.

“Golduck, um Pokémon Pato. É a forma evoluída de Psyduck. Quando ele nada a toda velocidade usando seus longos membros, compostos por membranas, a pedra em sua testa começa a brilhar. Ele aparece em canais navegáveis quando anoitece. Ele pode usar poderes telecinéticos se a sua testa brilha misteriosamente.” — Informou a voz robótica do aparelho.

Bob autorizou o início da partida.

— Wooper, Mud Shot! — Exclamou Ethan.

Wooper disparou pedaços de lama na direção de Golduck, que recebeu o ataque. Gabrielle apenas observava o pequeno Pokémon.

Ethan esperou, mas não veio nenhum tipo de contra-ataque da parte de Gabrielle.

— Ora... Se você não vai atacar, deixa que eu faço isso então. Wooper, Slam!

Wooper derrubou Golduck no chão com sua cauda e começou a agredi-lo várias vezes em seguida.

Mas Golduck, mesmo visivelmente machucado, ainda não fez nada. Gabrielle continuou a apenas observar.

Ethan estava começando a perder a paciência.

— Ei! Você não quer batalhar comigo? Por que é que diabos você não ataca?! — Bradava o garoto para a jovem que o olhava fixamente, sem dizer uma única palavra.

Wooper olhou para seu treinador com uma feição preocupada.

— Não se preocupe, garoto. Vamos continuar atacando. Mud Bomb!

Wooper abriu sua boca e começou a metralhar bolas de lama marrom na direção de Golduck que, outra vez, não esboçou reação alguma. Apenas recebia os golpes e mantinha-se concentrado.

Ethan se irritou e bateu o pé no chão.

— Você vai realmente me deixar acabar com o seu Pokémon?! — O garoto estava visivelmente incomodado.

Gabrielle sorriu.

Analyse complète. Golduck, Confusion!

O Pokémon de Gabrielle colocou as duas patas à frente de seu corpo e a pedra em sua testa brilhou. Um intenso tom de azul tomou conta de seus olhos e as pontas de seus dedos brilharam.

Uma aura da mesma cor tomou conta do corpo de Wooper, fazendo-o sentir-se completamente controlado.

— Wooper, você tá bem? — Questionou Ethan, estranhando a súbita mudança de comportamento de seu Pokémon. Ele estava totalmente ereto e olhava seu oponente fixamente.
Agorra, Golduck! — Exclamou Gabrielle.

O Pokémon Pato começou a mexer os braços. Ele fazia Wooper flutuar a seu bel-prazer, deixando o pequenino assustado. Tal qual seu Pokémon, Ethan não sabia o que fazer. Ficava parado, olhando para aquela cena, sem reação alguma.

Golduck começou a jogar Wooper no chão de forma violenta. Controlando seu corpo, o Pokémon de Gabrielle fazia isso duas, três, dez, quinze vezes sem parar. Wooper estava perdendo os sentidos devido aos impactos seguidos na superfície dura do casco do navio.

Gabrielle estendeu a mão para o céu. Golduck cessou o ataque imediatamente.

Wooper estava zonzo e Ethan estava perplexo. A garota analisou totalmente seus ataques e sua estratégia e apenas um ataque havia causado o triplo do dano físico que seu Pokémon havia causado no início da batalha. O nível de Golduck era forte e Ethan lamentou profundamente não ter dado um treinamento melhor para Wooper.

Gabrielle sorriu para Ethan de uma forma sínica.

— O que foi, mon chèr? Você não vai se mover?

O garoto fechou os punhos com força.

— Wooper, você está bem? Pode continuar? — O Pokémon de Ethan levantou-se com certa dificuldade do chão, mas acenou positivamente com a cabeça para seu treinador, confiante.

O garoto sorriu. Olhando para Gabrielle, apontou o indicador da mão direita na direção da oponente.

— Eu te subestimei, mas isso não vai acontecer de novo.

A garota sorriu.

Verremos. Golduck, Water Pulse!

Golduck concentrou suas energias em suas patas. A pequena pedra em sua cabeça brilhou e uma esfera azul se materializou.  Apoiando o peso de seu corpo em uma perna e equilibrando-se com auxilio da outra, o Pokémon colocou os braços juntos ao lado de seu corpo e empurrou a poderosa esfera na direção de Wooper.

— Evasiva! — Gritou Ethan.

Para escapar com sucesso do veloz ataque, Wooper jogou-se na piscina a sua frente. A poderosa esfera do Water Pulse atingiu o chão onde segundos antes estava o Pokémon de Ethan.

— Golduck é a melhor nadador de todos Pokémon! Serrá fácil... Aqua Jet!

O corpo de Golduck foi envolto por água. Como um foguete, disparou veloz na direção de Wooper que boiava na água esperando algum comando urgente de seu treinador.

Mud Shot! — Exclamou Ethan.

O pequenino, no susto, disparou vários pedaços de lama em Golduck, que vinha em alta velocidade. Ao penetrar na defesa de Wooper, o pato azul recebeu o ataque em seu rosto e a pedra em sua testa fora atingida.

Golduck parou o ataque imediatamente e caiu na água. Levou as mãos à testa, no local onde sua preciosa pedra vermelha estava. Estava visivelmente com dores de cabeça.

— Golduck! — Exclamou Gabrielle.

Wooper saltou da água de volta para a passarela da piscina. Ethan observou curioso aquela cena. Golduck estava com dor de cabeça?

Ao se recuperar, o Pokémon de Gabrielle imitou o oponente e se ajeitou na passarela. Os dois se encararam.

— Golduck, Scratch! — Ordenou Gabrielle.

Ágil, Golduck disparou na direção de Wooper. Ethan percebeu que, diferente dos golpes anteriores, a pedra vermelha na testa do Pokémon não brilhou.

— Não se mova, receba o ataque! — Disse o garoto ao seu Pokémon.

Wooper teve o rosto arranhado pelas afiadas garras de Golduck, mas resistiu. Aquilo foi o suficiente para Ethan ter uma ideia.

— Chegou a hora da gente encerrar a batalha, amiguinho. Mud Bomb!

Wooper abriu sua boca e disparou bolas de lama marrom na direção de Golduck que esquivou facilmente.

— Não adianta. Isso não vai funcionar. Water Pulse! — Exclamou Gabrielle.

A pedra na testa de Golduck brilhou e o Pokémon começou a preparar o ataque.

Ethan pensou rápido.

Mud Shot, Wooper! Mire no rosto do Golduck! — Ordenou Ethan.

O pequenino encheu seus pulmões com oxigênio e concentrou-se. Sua velocidade poderia ser menor do que a de Golduck, mas carregar e disparar o Water Pulse consumia mais tempo.

Wooper metralhou diversos pedaços de lama e mirou no rosto do oponente, que arregalou os olhos. A lama atingiu os olhos de Golduck que desconcentrou-se e parou de carregar o Water Pulse. Ele estava cego por um instante e tentava desesperadamente limpar sua visão, mas a cada vez que passava suas patas em seus olhos, mais lama espalhava neles.

— Golduck, caia na água! — Exclamou Gabrielle.

Seguindo as orientações da treinadora, o Pokémon deixou-se cair. Aquilo aliviou quase que imediato a ardência nos olhos de Golduck.

Pela primeira vez, Ethan viu Gabrielle confusa. E aquilo era uma brecha.

— Wooper, Slam! — Pediu o garoto ao seu Pokémon.

Wooper correu na direção da plataforma e saltou. Dando um mortal, atingiu violentamente sua cauda na cabeça de Golduck, deixando-o completamente tonto.

Gabrielle olhou assustada para Ethan. Ela não esperava aquela reviravolta.

Golduck chacoalhou sua cabeça. Retornando à passarela do campo de batalha, esperava atento as novas ordens de sua treinadora.

— Golduck, agorra é tudo ou nada... Confusion!
Mud Bomb!

A pedra na testa de Golduck brilhou.
Wooper disparou uma grande bola de lama.
Tudo passou em câmera lenta por um breve momento.

A aura azul tomou conta do corpo de Wooper. Enquanto Golduck tentava controlar o oponente, preocupava-se em não ser atingido pelo golpe de Wooper.

No entanto, ele não podia controlar duas coisas ao mesmo tempo.

O tiro de Wooper atingiu a testa de Golduck, bem em sua pedra valiosa. Aquilo desligou imediatamente seus sentidos e o fez cair para trás, nocauteado, ao mesmo tempo que o Pokémon de Ethan era liberto de sua prisão psíquica, caindo na piscina.

Nem Gabrielle e nem Ethan pareceram acreditar naquela cena. Golduck estirado no chão, defronte à sua treinadora e Wooper na água, atento a qualquer coisa. Porém, ainda com energia.

Ethan pareceu aliviado. Aquela batalha havia terminado. Gabrielle pareceu decepcionada.

J'ai perdu... — “Eu perdi...”, suspirava a moça.

Ethan retornou Wooper.

— Obrigado, amiguinho. Você foi sensacional. — Sorriu o garoto.

Gabrielle sorriu para Ethan.

­Merci. Você ser muito gentil. — A moça beijou o rosto do menino, deixando-o rubro.

Gabrielle se dirigiu ao corredor que levava às suítes do navio. Ethan, rumou para a fila dos desafiantes, atrás de Joey. Logo o encontrou — ele seria o próximo. Estava esperando um dos campos de batalha vagarem.

— Onde estão Amy e Forrest? — Questionou o garoto.

Joey apontou para um dos campos de batalha. Ethan viu seus amigos concentrados, batalhando entre si. Amy usava seu Dewgong enquanto Forrest arrasava com a agilidade de seu Shuckle.

Mas Ethan não estava interessado no duelo dos amigos, que também nem perceberam quando o garoto seguiu pelo caminho contrário do que deveria ir, seguindo para o corredor dos quartos.

Ethan conseguiu alcançar Gabrielle, que adentrava seu quarto na parte da primeira classe do navio.

— Ei, Gabi! Espera aê! — Chamou o garoto.

Gabrielle o encarou surpresa.

— Oh! Vejam se não é o menino Ethan...!
— Eu não podia deixar de te dizer o quanto eu adorei batalhar contra você. Tipo, sério! Você arrasou!

A moça fez um olhar confuso. Não tinha entendido metade das gírias de Ethan.

— Eu disse que você batalhou muito bem. Foi uma honra pra mim ter tido a oportunidade de ter você como oponente.

Gabrielle corou.

— Oh... Merci. Vous êtes très gentil.

Dessa vez, fora Ethan que fez uma expressão confusa.

— Disse que você serr muito gentil.
— Ah, imagina. Não foi nada. — Foi Ethan quem corou. — Achei muito poderoso aquele seu Water Pulse...
Aprrendi de um trreinador quando disputei a Pokémon League de Kalos. Posso ensinar, se você querrer.

Gabrielle deu um passo e aproximou-se de Ethan. Era engraçado, pois ela era um pouco mais velha que Ethan e sua altura fazia com que ela tivesse que olhar para baixo para que pudesse ver o garoto.

Mas não eram os olhos de Ethan que ela fixava.

— Claro! Seria muito legal se um dos meus Pokémon pudesse aprender esse golpe!

Ethan foi surpreendido. Gabrielle encostou seus lábios nos do garoto e fechou os olhos. O garoto não sabia exatamente o que estava acontecendo ali. O rosto angelical da moça estava totalmente relaxado. Ethan transpirava em partes estranhas de seu corpo que o garoto nem tinha noção de que podiam transpirar. Ele fechou os olhos e apenas tentou imitar o que Gabrielle fazia.

Sozinho com Gabrielle naquele corredor, Ethan estava tão desligado do mundo real que esquecera-se completamente que Amy e Forrest ainda duelavam lá fora.



TO BE CONTINUED...


{ 11 comentários... read them below or Comment }

  1. Uma adição na maldição do líder ,um dos protagonistas pega uma mulher mais velha,não duvido que essa Gabrielle seja a Xerneas

    Wooper vencendo um Golduck ,se esse Wooper não evoluiu agora ,ele não vai evoluir (Se fomos ver o Pikachu de Ash , isso é uma vantagem )

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Donnel!

      Ethan se tornou homenzinho, né? XD

      Não sei se Gabrielle é um Pokémon, mas será que ele deu azar de praticar PokéFilia? Já basta o Lukas lá em Sinnoh. EHUAHUEAHAUAEHAUEH

      Wooper já garantiu uma boa experiência. Vamos ver se a evolução dele acontecerá. =]

      Espero que continue curtindo!

      See ya!

      Delete
  2. Oua! Que que é isso meu filho! Depois dessa o Ethan não vira flamenguista só porque em sua roupa tem amarelo! (Tipo, ele ficou com tons de vermelho na pela, sua camisa é vermelha, e sua bermuda e o boné tem a cor preta e... Esquece)

    Depois dessa sensacional batalha, um beijo é a melhor coisa para apagar a chama da batalha e acender o fogo da paixão... Se fosse eu, mestre O'Donnel e Shiny Reshiram escrevendo, ia era ser acendida a tocha da taradagem e Ethan estaria com mais do que a flecha apontada...*

    *Para entender a expressão, tenha imaginação ou leia os comentários de http://tales-of-dreamian.blogspot.com.br/2016/08/jogo-continue-historia-historia-01.html

    Bem Dento, um ótimo cáp, com reaparição do Joe e a apresentação de uma "totosa", que deve ser um robô, um cyborg ou a Android 18. (Coitado do Kuririm, demorou pra arranjar uma e foi cifrado...)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Sir!

      Ethan flamenguista? Adorei. XD

      Que beijão, né? Gabrielle é uma mulher de atitude. XD Se ela dependesse do Ethan, essa cena não ia rolar nunca!

      Eu tô devendo uma leitura do Tales of Dreamian, mas eu já fiquei interessado pelo o que eu andei lendo no Chat da Aliança. Um dia eu conseguirei me atualizar. kkkk

      Fico muito contente que você tenha curtido! Vou me esforçar mais ainda para manter a qualidade! =D

      PS: Coitado mesmo do Kuririn. Agora ele deve estar ouvindo os LPs do Chitãozinho e Xororó. XD

      See ya, man!

      Delete
  3. Yoo Dentoo

    Vamos comentar por partes:

    Joey-Eu zoaria ele se não acontecesse a mesma coisa comigo acho que acabo chegando adiantado pensando estar atrasado,alguem entedeu?

    Ethan :
    -Ja tem um pokemon que quase todo mundo gosta
    -Tem um boné/boina
    -Tem um Melhor amigo e Crunch (alguem entedeu a piada?)na viagem
    -Tem pokemons que desafiam a humanidade (ice punch)
    -E agora tem uma Paixão/ficante/A PERSONAGEM MAIS VELHA QUE TODA HISTORIA TEM E TODO MUNDO ADORA ELAS PORQUE ELAS SEMPRE SÃO LEGAIS (Mad mode off)

    Ethan derrotando a galera esnobe com o girinho(melhor nome) e mostrando que manja das estrategi do francês(Essa frase se adptou perfeitamente ao episódio

    Esperando o próximo episodio (mentira eu ja li mas vou comentar lá mesmo pra pra dar spoiler por aqui)

    See Ya

    Ps:Eu achei a Gabryelle meio parecida com a Francis do Chico Bento Moço só conhecidencia ou sotaque francês faz parecer todo mundo igual? (Mega Bulling com os franceses ;-;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Dark!

      Eu sempre chego atrasado. Tá aí algo que sempre me complica. XD

      Ethan é um clichêzinho que todos nós acabamos virando na adolescência. Acho que é difícil fugir disso, né? XD Mas eu me surpreendo com o jeito que ele se dedica às batalhas, o jeito que ele lida com as situações... Ele cresce a cada dia mais!

      Sobre a Gabrielle: Acho que todo sotaque faz as pessoas parecerem iguais. Não que isso seja ruim, mas ao menos eu acho que caracteriza, né? XD

      Delete
  4. Bom, finalmente nos despedimos de Cianwood. É um dos lugares mais nostálgicos de Johto na minha opinião. Sei lá, eu curtia a cidade quando jogava Pokémon Crystal, não sei por que. Deve ser porque era ali que a gente conseguia o HM Fly, o que facilitava a vida que eu não preciso nem dizer.

    Oh, um torneio de batalhas para entreter o pessoal durante a viagem de volta! E aqui temos a introdução da Gabrielle! Você sempre falou muito dela, mas ainda não havia tido a oportunidade de vê-la em ação (só em alguns trechos perdidos que você me mandava). Sei que é uma personagem que você gosta bastante de trabalhar, então já estou curioso para saber o que você tem reservado para ela.

    Olha, eu não sei quem vai ficar com o Lapras, mas na disputa pelo Ethan parece que alguém saiu na frente. Alô Amy, abre o olho! Se esperar demais o sorvete derrete (nos braços de outra kkkkk)

    Vamos ver como será a conclusão desse torneio agora. Enquanto Olivine e seu arco sensacional não chegam, eu vou poder pelo menos ficar fazendo um bolão mental de quem fica com o Lapras.

    Até! õ/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Shadow!

      Mais uma cidade que fica pra trás. Mas, não significa que foi sua única passagem pela história. Cianwood foi citada antes da chegada de Ethan e companhia a ela, e é um grande elo para a ligação entre Johto e Hoenn (literalmente). Fico mais do que feliz de ter conseguido fazer um bom trabalho nela.

      Bem, os garotos não podiam de repente aparecerem em Olivine, né? Então, o que a gente faz? Pega um Pokémon com Surf e faz eles voltarem enfrentando centenas de Tentacool, Tentacruel, Magikarp e Mantine pelo caminho? CLARO QUE NÃO! Taca um torneio Pokémon que é sucesso! Hahahaha. Sim, a Gabrielle debuta aqui. Eu gosto dela, mesmo que ela seja uma personagem original que não tenha o final planejado, gosto de ver até onde vai. Ela gosta do Ethan ou só o vê como rival? Será que ela vai ser uma Lyra 2.0? Bem, só o tempo vai dizer, porque sinceramente eu não faço ideia.

      Ah, o Lapras... Como eu gosto desse Pokémon. Espero que descubra o vencedor logo! Vai ser incrível se ele acabar fazendo parte da equipe de Ethan e Amy, não é? Não disse nada. EAUAHUAHUAHAUHA.

      Espero que você continue aproveitando e torcendo muito para os seus personagens favoritos vencerem. Afinal, não é todo dia que você descola um Lapras (a não ser que você seja um apostador, aí o Game Corner é pra você).

      See ya, man!

      Delete
  5. heyyy

    adorei essa ideia de uma competoção a bordo de um navio onde o prémio é um fantástico lapras! quem não iria pariticipar, verdade??

    parece que ethan conheceu uma garota francesa bem simpática, hein? achei o combate bastante interessante e gosto da oportunidade que ethan dá a todos os seus pokemon de mostrarem a sua força. e a verdade, é que wooper o conduziu à vitória contra um golduck! WOW!!!

    mas depois... esse beijo... foi assim uma grande surpresa! nossa ethan, você gosta de mulher mais velha... uhhhhhhhhh

    CUIDADO AMY!!!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Angie!

      Fico feliz que tenha gostado da ideia! Eu precisei fazer m arco filler pra poder separar Cianwood e Olivine, que bom que ficou natural e divertida de acompanhar kkkk

      Gabrielle é uma daquelas personagens que surgem para fazer um papel de interação com os protagonistas e acabam ficando... Ela vai dar bastante as caras ainda, então espero que você curta ela como personagem!

      Espero que continue curtindo!

      See ya!

      Delete
  6. Ethan descreveu exatamente o meu pensamento no começo do capítulo. O navio acabou de ser consertado, mas fodase, vamos por um monte de treinador pra batalhar nele pq sim.
    Uma batalha por um Lapras, quem não entraria, não é mesmo? Eu amo mto esse poke.
    AAAAAAA NÃO CREIO Q O ETHAN PERDEU O BV. E gostei MUITO que tenha sido com a Gabrielle e não com a Amy (q nem sei se ainda é shipp), é bom mostrar q apesar de tudo ele é um garoto legal e que outras meninas podem se interessar por ele sim. Particularmente, achei esse beijo mto fofo. Tomara q o pobre Ethan não tenha seu coraçãozinho partido.

    ReplyDelete

- Copyright © 2015 - 2019 Aventuras em Johto - Dento (Willian Teodoro) - Powered by Blogger - Designed by CanasOminous -