Posted by : Dento Sep 8, 2016



            — Você tem certeza mesmo? — Perguntou Forrest pela trigésima vez aquele dia.
— Sim. Total. — Respondeu Ethan confiante.

Os eventos do dia anterior fizeram Ethan e Forrest chegar a uma conclusão: Rocky seria melhor treinado nas mãos de um especialista em Pokémon de Pedra. Brock, o irmão de Forrest e atualmente o Líder do Ginásio de Pewter, em Kanto, usava Pokémon do tipo Pedra e era inspirado no irmão que Forrest tinha sua equipe composta, basicamente, de Pokémon... Do tipo Pedra.

Amy evitava dar opiniões nessas horas, mas ela também havia se impressionado com a atuação de Forrest perante Rocky. A experiência do moreno com um Onix com certeza permitiu que ele pudesse controlar a criatura que estava descontrolada. Rocky também pareceu estar confiante em aceitar Forrest como seu novo mestre. A sugestão de troca de Pokémon foi logo posta em discussão.

No entanto, para haver uma troca, Forrest também precisaria trocar um Pokémon de sua equipe com Ethan.

            Mas havia uma ideia melhor.

            Do lado de fora do Centro Pokémon, Ethan convocou Onix. Tendo a certeza de que Rocky se sentia confortável com Forrest e tendo a consciência de que o amigo treinaria o Onix com afinco e amor, Ethan colocou a PokéBola de Rocky no chão e a quebrou, pisando em cima da cápsula.

            Forrest exclamou assustado. Ethan o encarou sorrindo.

— Se a única maneira de liberar o Rocky for ter que acabar com a única ligação material que eu tenho com ele, isso não é mais problema. Agora tente captura-lo.

Forrest fechou o punho e pareceu refletir.  Rocky estava defronte a ele, o encarando com curiosidade.

O moreno sacou uma PokéBola e apontou para o gigante. Rocky olhou para Ethan que o incentivou com o olhar e voltou a encarar Forrest que o observava parecendo estudar a reação de Onix.

Rocky abaixou a cabeça e tocou o botão central da cápsula com seu focinho, ativando-a. A PokéBola abriu e Rocky foi sugado pra dentro dela, não saindo mais de lá.

Forrest olhou para Ethan que o encarava de forma séria.

— Por favor... Cuide bem dele. — Pediu o garoto.

O moreno acenou de forma positiva devagar com a cabeça.

Ethan sorriu e abraçou o amigo.

— Eu sabia que podia contar com você. — Cochichou.

Forrest segurou a PokéBola de Rocky e a encarou por alguns segundos. Deu alguns passos para trás e jogou o objeto para cima, liberando o colosso.

O grande corpo de Rocky materializou-se defronte a Forrest. O Pokémon sorriu para o novo treinador.

— Bem-vindo à equipe. — Saudou o moreno.

O corpo de Rocky foi envolto por uma aura branca e um clarão tomou conta daquele ambiente. Começou a crescer e a se expandir.

Rocky agora era um Pokémon maior, composto por um corpo cinza-prateado dividido por rochas feitas de ferro. Três dessas divisões tinham longos espinhos de aço saindo pelos lados. Sua cabeça maciça era composta principalmente de seu grande queixo largo, com conjuntos de grandes dentes quadrados dentro de sua boca imensa. Suas órbitas eram profundas e os olhos eram vermelhos cor de sangue.

Ethan pegou sua PokéAgenda e conferiu as informações.



“Steelix, um Pokémon Cobra de Ferro. Seu corpo foi comprimido pela profundidade do chão. Como resultado, é mais duro que um diamante. Dizem que se um Onix vive por cem anos, a composição de seu corpo se torna um diamante e então ele evolui sozinho para um Steelix.” — Informou o dispositivo.

Ethan se aproximou de Rocky.

— Cara, que Pokémon massa! Rocky, você tá maravilhoso! — Exclamou o rapaz encantado.

Forrest sorriu.

— Rocky é tão bom que agora tem uma armadura de aço para protege-lo de tudo!

Rocky encarou seu novo corpo. Forrest estava certo: Seu corpo estava mais resistente. Ele estava começando a se acostumar a não ter medo de encarar desafios.

Amy aproximou-se dos rapazes.

— A melhor coisa que vocês dois fizeram foi essa troca. Ao menos, todo mundo saiu satisfeito. — Sorriu a garota.

Ethan coçou a cabeça.

— Ao menos, eu perdi a oportunidade de ter um Pokémon forte na minha equipe. — Sorriu sem graça.

Forrest o encarou sem jeito.

— Você quer desfazer a troca? — Perguntou o moreno.
— Nah. Nem tem como também. Eu quebrei a PokéBola dele, lembra?

Amy deu de ombros.

— Bem, acho que o melhor agora é se preocupar com o Ginásio. Você já sabe qual Pokémon vai usar?
— Eu nem parei pra pensar nisso. Mas eu acho que não adianta eu pensar muito nisso. Eu não sei qual o tipo do Ginásio e eu não sei quantos Pokémon eu vou usar. — Respondeu Ethan.

Forrest o olhou intrigado.

— Então o que você vai fazer?

Ethan sorriu.

— O que sei fazer de melhor: Improvisar.

Amy deu um tapa no ombro do garoto.

— Você não sabe improvisar e não me venha com essas frases clichês de heroizinho de desenho animado! Vamos estudar estratégias.

Ethan ficou cabisbaixo e Forrest riu alto.

***

A tarde caia e a caminhada pela praia ajudou Ethan a relaxar. Já quase anoitecia quando os garotos avistaram o prédio do Ginásio. Diferente do que eles já tinham visto, não era um Ginásio com uma construção convencional. A arquitetura do lado de fora lembrava antigos templos espadachins japoneses, com suas telhas de concreto sendo sustentadas por colunas de aço douradas que esculpiam formas de Pokémon em relevo. Não havia portas — a entrada era convidativa a qualquer um que passasse por ali.

Dentro do Ginásio, uma estrutura de madeira sustentava e cobria o teto, o chão e as paredes. Pendurado nas paredes, vários troféus e medalhas de campeonatos que logo revelaram-se ser premiações de lutas internacionais. Várias pessoas praticavam artes marciais nos mais diversos estilos em tatames espalhados pelo grande hall de entrada.

Ethan, Amy e Forrest estavam encantados e confusos. Aquilo não parecia nada com um Ginásio da Liga Pokémon. Ainda que houvessem Pokémon naquele local, eles não estavam batalhando entre si, mas sim, contra seus treinadores humanos. Ali era um verdadeiro recinto de Pokémon do Tipo Lutador: Machoke, Machamp, Hitmonlee, Hitmonchan e outros Pokémon batiam e apanhavam dos humanos em uma cena bizarra.

— Sejam bem-vindos a academia de artes-marciais da Cidade de Cianwood! Eu sou Chuck, o mestre daqui! — Uma voz alta e rouca surgiu atrás dos garotos.

Chuck era um homem forte. Barrigudo, mas forte. Sua calça vermelha rasgada era presa por uma faixa preta, mostrando o domínio de alguma arte marcial. Seus cabelos eram castanhos, da mesma cor de seu bigode.



— Boa noite. Eu sou Ethan, e estou procurando o Ginásio da Cidade de Cianwood. Mas eu acho que entramos em um lugar errado. — Disse o garoto com um leve receio de apanhar a qualquer instante.

Chuck fez uma expressão alegre.

— Não errou. Aqui também é o Ginásio de Cianwood! — Exclamou ele.

Forrest soltou uma exclamação.

— Eu nunca soube que os Ginásios podiam funcionar como academias de lutas!
— Não só como academias de lutas. O Ginásio de Rustboro, na Região de Hoenn, também funciona como um museu E o Ginásio da Cidade de Celadon trabalha também com pesquisas sobre flores, assim, transformando sua essência em perfume e auxiliando os Centros Pokémon com poções naturais feitas das plantas. — Explicou Chuck em um texto visivelmente decorado e automático.

Ethan observou o máximo que podia daquele ambiente esquisito. Se aquilo era um Ginásio, aonde estava o campo de batalha?

— Então... Senhor Chuck, que dia você pode aceitar meu desafio? — Perguntou Ethan com visível temor na voz.

Chuck bateu uma palma forte, que ecoou pelo campo de treinamento.

— Discípulos, preparem-se. Chegou um novo duelo para mim. — Anunciou Chuck.

As pessoas e os Pokémon que treinavam espalhados pararam abruptamente. De repente, eles começaram a gritar de forma ensurdecedora e a comemorar, aproximando-se correndo em direção de Chuck e dos garotos.

— Debandada de discípulos suados vindos a oeste! — Exclamou Ethan com uma expressão de pânico no rosto.

Os discípulos de Chuck pegaram os garotos e os ergueram do chão. Correram com eles até uma sala que ficava ao lado de fora da academia. As estrelas já começavam a surgir, garantindo lugar na arquibancada do céu para assistirem ao duelo que estava para ser iniciado.

Um dos discípulos aproximou-se da lateral do campo de batalha.

— Mestre da Academia de Luta e Líder do Ginásio de Cianwood, Chuck, e desafiante Ethan, por favor, posicionem-se em seus lugares!

O grupo de discípulos jogou Ethan no campo de batalhas enquanto levavam Forrest e Amy para uma espécie de arquibancada, erguida grosseiramente sob suporte de madeiras e bancos de alvenaria.

— Eles poderiam ter sido mais delicados... — Xingou Ethan do chão, levantando-se.
— Atenção, desafiante. Eu usarei apenas este Pokémon. Você poderá utilizar todos os Pokémon que você tem para tentar ganhar a insígnia do Ginásio. Entendido? — Perguntou Chuck.

Ethan sentiu um frio na barriga.

Quanta confiança... Será que o Pokémon dele é forte? — Pensou o garoto.
— Você entendeu? — Perguntou Chuck novamente.
— Sim, tudo bem pra mim.
— Ótimo. Eis o meu Pokémon. Vai, Poliwrath! — Chuck arremessou uma PokéBola no campo de batalha.

Poliwrath era um Pokémon bípede azul com braços musculosos. Ele tinha olhos bulbosos que se projetavam a partir do topo de sua cabeça. Sua barriga estava coberta por um redemoinho branco e preto. Parecia ter luvas brancas em suas mãos. Ethan tirou a PokéAgenda do bolso da bermuda.




— “Poliwrath, um Pokémon Girino. É uma das últimas formas evoluídas de Poliwrath e o último estágio evolutivo de Poliwag. Este nadador forte e qualificado é capaz de atravessar o Oceano Pacífico apenas chutando. Apesar de ser um nadador enérgico, habilidoso e que usa todos os seus músculos, ele vive em terra seca”. — Informou a voz robótica da PokéAgenda.
— E então? Qual vai ser sua primeira escolha? — Perguntou Chuck.

Ethan levantou-se do chão e sacou uma PokéBola.

 — Poliwrath é do tipo Água... Sand e Quilava não aguentariam o tranco... — O cérebro de Ethan trabalhava a mil por hora. — Scyther, eu escolho você! — Ethan arremessou uma PokéBola na arena.

Scyther pousou majestoso no campo. Olhou para seu treinador e lançou um olhar frio.

O estômago de Ethan embrulhou.

— Putz... Só falta agora ele dar pra trás... — Pensou o garoto.
— A batalha entre Scyther e Poliwrath vai começar... Agora! — Anunciou o discípulo juiz.
— Poliwrath, agora, use Hypnosis!

Veloz, Poliwrath fez Scyther cair ao chão, dormindo profundamente.

— Mas o quê?! — Exclamou Ethan, pego totalmente de surpresa.
— Finalize com Body Slam!

Poliwrath investiu com agilidade e violência para cima de Scyther, que foi arremessado com violência para a parede atrás de Ethan, caindo nocautado.

— Scyther está fora de combate, o vencedor é Poliwrath! — Anunciou o juiz.

A torcida de discípulos vibrou. Ethan teve seu primeiro Pokémon derrotado sem ter dado tempo de o garoto fazer um único movimento.

Esse Pokémon não é desse mundo...! — Ethan sentia o medo tomar conta de seu corpo.

Da arquibancada, Amy e Forrest estavam apreensivos.

— Esse Poliwrath é muito bem treinado! Chuck não dá tempo do oponente pensar muito...! — Exclamou Forrest para Amy.
— Espero que o Ethan não passe muito vexame... — Suspirou a garota.

Chuck encarava Ethan com um olhar superior.

— E então? Qual será a sua próxima escolha? — Perguntou Chuck.
— Preciso ganhar tempo... Nido, eu te escolho! — Convocou Ethan, arremessando a PokéBola para cima. Nidoran pousou contente. Parecia ansioso para lutar. Não deixou-se intimidar com o olhar sádico de Poliwrath e o devolveu na maior intensidade que podia.
— Comecem! — Autorizou o juiz.
— Poliwrath, ataque com Hypnosis!
— Dessa vez isso não vai funcionar... Double Kick!

Por ser menor, Nidoran conseguia ser mais ágil que o gigante Poliwrath. O pequeno correu ao redor do oponente e o atingiu com dois chutes certeiros no rosto, um seguido do outro usando cada uma de suas patas. No susto, Poliwrath caiu sentado no chão do campo de batalha.

Por um instante, Chuck pareceu incomodado. Era a primeira vez em muito tempo que ele era surpreendido daquela forma. Mas ele ainda era o maior treinador daquele lugar, sua reputação estava em jogo.

Estalou os dedos. Seu Pokémon levantou-se e encarou o pequeno Nidoran, que estava confiante. Ethan permanecia em silêncio, analisando cada passo do Líder de Ginásio que parecia ler seus pensamentos. De fato, aquilo podia ser apenas uma estratégia para deixar o garoto desconcentrado, mas ele não podia deixar a insegurança dominá-lo.

Chuck olhou para seu Pokémon que ergueu-se em um salto. Com a confiança reestabelecida, o Líder de Ginásio se permitiu dar o próximo passo.

— Vamos jogar sério, Poliwrath. Surf!

Os olhos de Poliwrath brilharam em azul intenso. Sob suas patas, uma enorme onda de água surgiu e levou o Pokémon às alturas. Nidoran não conseguiu nem se desvenciliar, afogou-se imediatamente com a grande quantidade de água que caiu sobre sua cabeça. As fortes ondas o empurraram e o lançaram ferozmente contra uma das paredes da sala, transpassando-a.

Quando o ataque cessou, Poliwrath retornou à sua posição e Ethan correu na direção de seu Pokémon para checar se estava tudo bem.

Nidoran choacoalhava a cabeça para retomar os sentidos. Aquela surra não era o suficiente para nocauteá-lo.

Ethan e Nidoran retornaram aos seus lugares no campo de batalha.

— Se é com força bruta que você trabalha, é com força bruta que nós vamos combater. Nido, Peck!

Nidoran partiu veloz em direção à Poliwrath e cravou seu chifre no estômago do grande oponente que cambaleou para trás ao receber o golpe. O ataque super-efetivo foi suficiente para deixá-lo atordoado.

Ethan olhou para Chuck e sorriu.

— Meu Nidoran tem história. Ele já enfrentou inimigos maiores que ele e não é hoje que ele vai perder só porque é menor que o oponente.

Nidoran olhou para Ethan e sentiu uma confiança enorme vinda de seu treinador. A segurança que o garoto passava era o lar que o andarilho Pokémon procurava para descansar. Ele não ia decepcionar o seu mestre.

Chuck cruzou os braços.

— É, garoto. Eu confesso que o subestimei. Meus oponentes não costumam dar tanto trabalho... Você é jovem, mas é bem esperto. Permita-me. Poliwrath, Focus Punch!

A luva na pata de Poliwrath brilhou. Como um raio, o Pokémon de Chuck avançou na direção de Nidoran e o atingiu com um poderoso soco, fazendo o Pokémon de Ethan ser arremessado alguns metros.

Poliwrath apoiou o joelho no chão e arfou de cansaço. Ethan percebeu que ele não poderia atacar naquele momento.

— Nido, Focus Energy! — Exclamou o garoto.

Nidoran se apoiou nas patas dianteiras e concentrou-se. Uma aura azulada tomou conta de seu corpo e limpou sua mente. Poliwrath agora havia se estabelecido como um alvo a ser detonado e nada o impediria de atingí-lo.

Poliwrath levantou-se. Ele sentiu que ainda tinha energia para continuar, mas não podia vacilar. Olhou para seu treinador e sorriu.

— Poliwrath, Body Slam!
Nidoran, não deixe! Double Kick!

O Pokémon de Ethan correu veloz na direção do oponente, pegou impulso com as patas dianteiras e executou uma voadora, atingindo em cheio o rosto de Poliwrath, o lado direito e em seguida o lado esquerdo. Poliwrath balançou a cabeça, levemente zonzo, e aguardou as ordens de Chuck, que foi rápido.

Body Slam de novo!

Poliwrath jogou seu corpo pesado em cima de Nidoran que não teve como fugir. O peso do oponente fazia pressão sobre seu corpo minúsculo, impedindo-o de se mover.

— Nido! — Exclamou Ethan, nervoso.

Chuck gargalhou.

— Esse seu Pokémon é bastante escorregadio. Mas eu consegui prendê-lo e agora ele não pode mais fazer seus truquezinhos baratos!

Ethan fechou os punhos e sua mente trabalhava em tal velocidade que quase era possível ouvir o barulho de seu cérebro em funcionamento. Ele não conseguia pensar em nada para tirar Nidoran daquela armadilha.

O garoto pegou a PokéBola e retornou seu Pokémon. Chuck sorriu.

— Você vai desistir?

Com a outra mão, Ethan pegou uma terceira cápsula.

— Larvitar! — Convocou Ethan lançando o Pokémon em campo.

Chuck riu.

— Esse Pokémon tampinha aí é a sua escolha, desafiante?

Ethan sorriu para Larvitar.

— Tamanho não é documento. Larvitar, vamos detonar. AncientPower!

Um brilho branco tomou conta do corpo de Larvitar, que colocou suas duas patas na frente de seu corpo e criou uma bola de energia prateada que lançou no oponente, atingindo-o em cheio. No entanto, Poliwrath pareceu não sentir absolutamente nada.

— Ataques do tipo Pedra não funcionam conosco. Mostre pra ele o verdadeiro poder de um Pokémon, Poliwrath! Surf!

Os olhos de Poliwrath voltaram a brilhar num tom de azul intenso. A enorme onda de águas poderosas materializada pelo Pokémon rapidamente abraçaram Larvitar, que começou a perder os sentidos dentro daquela enorme corrente de água. O Pokémon de Ethan fora arremessado, tal qual Nidoran, e o deixou extremamente tonto.

— Força, Larvitar! Vamos com tudo! Bite, agora!

Larvitar se recuperou e saltou em direção ao oponente, mordendo a cabeça de Poliwrath que pareceu não sentir nada.

— Hahahah! O ataque Bite não funciona em Poliwrath! — Gargalhou Chuck. — Tire-o daí!

Poliwrath realmente não parecia sentir dor alguma. O Pokémon de Chuck balançou a cabeça violentamente por diversas vezes até Larvitar soltar a boca de sua cabeça.

Aquele movimento contínuo de Poliwrath deu a Ethan uma ideia.

Bite de novo! — Exclamou Ethan.

Larvitar voltou a morder a cabeça do oponente que insistia em balança-la ainda mais para soltá-lo. A cada vez que Poliwrath conseguia tirar Larvitar de sua cabeça, o pequenino voltava a cravar seus dentes cada vez mais forte e profundo em sua cabeça. Aos poucos, a expressão de Poliwrath ia mudando. O sorriso gabado deu lugar a lágrimas nos olhos. O Pokémon de Chuck começou a correr pelo chão do campo de batalha com fortes dores de cabeça e Larvitar continuava a cravar cada vez mais fundo seus dentes no crânio de Poliwrath.

No desespero, Poliwrath dirigiu-se para uma das paredes laterais do campo de batalha e investiu violentamente contra a estrutura, atingindo Larvitar e nocauteando-o.

— Larvitar está fora de combate! A vitória é de Poliwrath! — Anunciou o juiz.

Chuck soltou um suspiro aliviado.

— Por um momento, eu achei realmente que estava em apuros. Essa batalha está me deixando empolgado, garoto.

Ethan olhou para Poliwrath enquanto retornava Larvitar. Percebeu que um galo nascia no lugar onde seu Pokémon havia mordido incessantemente e que Poliwrath estava meio tonto de tanto se esforçar para tirar Larvitar de sua cabeça.

O garoto sorriu.

— Você foi excelente, Larvitar. Agora é a sua hora de terminar o que começou, Nido! — Ethan arremessou a PokéBola de Nidoran na arena novamente.

O pequeno Pokémon parecia exausto. Não havia se recuperado totalmente dos danos tomados de Poliwrath nas rodadas anteriores. Mas Ethan só precisava de um pouco mais de esforço para concluir a batalha.

— Poliwrath, Hypnosis!
— Evasiva, Nido!

Poliwrath tentou fazer Nidoran dormir, mas o pequeno foi mais rápido e desviou das ondas hipnóticas que eram mandadas até ele.

Peck! — Exclamou Ethan.

Nidoran correu em direção a Poliwrath com velocidade mirando seu chifre nas costas do Pokémon.

— Arremesse-o! — Gritou Chuck.

Ethan soltou uma exclamação.

Poliwrath girou ao redor do próprio eixo e pegou Nidoran pelo chifre. Pegou impulso e o jogou para o alto, fazendo o roedor pegar velocidade na queda graças à gravidade e caindo violentamente no chão.

— Nidoran! — Exclamou Ethan.

O Pokémon de Ethan estava estirado no chão, imóvel.

Nidoran está fora de combate. O vencedor é Poliw... — O juiz foi interrompido quando uma luz branca envolveu o corpo de Nidoran e o fez ficar maior. Seu corpo ganhou várias manchas roxas mais escuras em seu comprimento e suas orelhas tornaram-se grandes e espinhosas. Seu focinho longo tinha dois dentes pontiagudos advindos de sua mandíbula superior. Tinha uma crista de espinhos tóxicos em sua parte traseira e um longo chifre pontudo em sua testa, que era mais duro que o diamante.




Ethan sacou sua PokéAgenda.

“Nidorino, um Pokémon Espinho Venenoso. É a forma evoluída do Nidoran. Ele levanta suas orelhas grandes para verificar seus arredores. Se ele sente alguma coisa, ataca imediatamente. Se enfurecendo rápido, ele apunhala inimigos com seu chifre para injetar um veneno poderoso quando fica agitado.” — Informou a voz robótica.

O juiz encarou Chuck que sorriu. Acenando com a cabeça, o Líder permitiu que Nidorino levantasse e encarasse Poliwrath mais uma vez.

Nidorino berrou. Gritou tão alto que queria que sua voz transpassasse as paredes, ecoasse pelos oceanos e chegasse ao espaço. Ele não iria cair.

Poliwrath entendeu. Seu oponente havia evoluído para conseguir vencê-lo de forma justa. De forma onde os dois pudessem testar os limites um do outro. E ele um dia teve aquele mesmo sentimento.

Chuck e Ethan se encaravam com um sorriso no rosto. Faíscas saíam dos olhos dois dois treinadores que lutariam até o fim.

— Nidorino, Double Kick!
— Poliwrath, Body Slam!

Nidorino avançou veloz enquanto Poliwrath aguardava o ataque. Ao aproximar-se, o Pokémon de Ethan preparou o ataque enquanto Poliwrath jogou todo o peso de seu corpo para frente. Nidorino esquivou do golpe e atingiu o oponente por trás.

Focus Punch! — Exclamou Chuck.

Poliwrath ergueu-se do chão e mirou em Nidorino, atingindo-lhe um soco no rosto, arremessando-o na parede ao lado.

 — Força, Nidorino! Focus Energy! — Exclamou Ethan.

Nidorino se recompôs e relaxou. Deixou sua mente limpa e concentrou-se apenas em Poliwrath.

Surf! — Ordenou Chuck.

A imensa onda materializada por Poliwrath aproximava-se com rapidez. Nidorino continuou concentrando sua energia em seu corpo.

— Aguente firme! — Gritou Ethan ao Pokémon.

A onda do golpe de Poliwrath atingiu o Pokémon de Ethan com toda potência. Nidorino fincou suas garras afiadas no piso do Ginásio e manteve-se preso na terra. Prendeu sua respiração e aguardou pacientemente a ordem de seu treinador.

A água passou. Nidoran abriu os olhos e olhou no fundo dos olhos de Ethan. Eles leram o pensamento um do outro. Sabiam o que iam fazer.

— Agora, Nidorino! — Exclamou seu treinador.

O Pokémon correu em direção à Poliwhirl que estava se recompondo do ataque. Abaixou sua cabeça para mirar seu chifre pontiagudo no oponente. Estava há poucos centímetros de altura quando ouviu Ethan gritar.

Peck!

Poliwrath não conseguiu se esquivar. Foi atingido bem no meio da testa e arremessado para atrás de Chuck, transpassando a parede igualzinho como o próprio Poliwrath tinha feito minutos antes. Uma nuvem de fumaça subiu quando o reboco da parede desmoronou, mas era nítido que Poliwrath estava ali, totalmente nocauteado e com um galo onde o chifre de Nidorino tinha atingido.

— É impressionante, mas... Poliwrath está fora de combate! O vencedor da disputa é o desafiante Ethan! — Anunciou o juiz.

Houve um minuto de silêncio até os discípulos começarem a gritar e a fazer baderna. Eles desceram correndo como animais desembestados das arquibancadas para pegar Ethan nos braços e começar a jogá-lo para cima.

— Chega! — Bradou a voz de Chuck.

Os discípulos pararam imediatamente, deixando Ethan cair no chão.

Chuck aproximou-se.

— Você fez uma batalha espetacular. Como prova disso, lhe dou, de coração, a Insígnia da Tempestade. — Disse Chuck estendendo as mãos. Nela, havia uma insígnia em forma de punho de cor amarronzada.



Ethan pegou a Insígnia, a olhou por uns instantes e a estendeu de volta para Chuck.

— Essa Insígnia é a prova da maior batalha que eu já tive na minha vida. — Disse o garoto.

Chuck gargalhou alto.

— Você batalhou muito bem, desafiante! Eu, assim como você, já fui um treinador Pokémon. Posso não ter ganhado a Liga, mas eu realizei um grande sonho: Me tornar mais íntimo com meus Pokémon e passar para o maior número de pessoas possível todo o meu conhecimento sobre eles e sobre como você não deve desistir do que você deseja. Então, filho, chute o traseiro de todos os seus desafiantes e boa sorte na Liga Pokémon. — Disse Chuck apertando um dos ombros de Ethan e fechando, com a outra mão, o punho de Ethan que segurava a Insígnia.

O garoto sorriu.

— Obrigado, Chuck. Eu aprendi muito batalhando contra você. E espero que você torça por mim na Liga. — Sorriu o garoto.
— Torcerei. Você tem muito chão e treinamento até lá, mas saiba que eu serei um dos seus maiores fãs! — Disse Chuck sorrindo.

Amy e Forrest aproximaram-se.

— Estou sem palavras... Essa batalha foi sensacional! — Exclamou o moreno.
— Você me surpreende todos os dias. — Sorriu Amy.

Ethan abraçou os dois amigos e os deixou encabulados.

— Eu não sei o que seria de mim sem vocês. Obrigado mesmo!

Nidorino aproximou-se de seu mestre e o cutucou com seu chifre. Ethan abaixou-se para falar com seu Pokémon.

— Obrigado por ter se esforçado por mim. Por ter evoluído por mim. Você vai ser o líder da minha equipe, o mais forte de todos! Igual a um imperador! — Disse o garoto acariciando seu Pokémon que retribuía o carinho. — É... Você agora é o Imperador da minha equipe.

Os discípulos de Chuck aproximaram-se de seu mestre e cochicharam em seu ouvido. Ele sorriu e logo em seguida virou-se para Ethan.

— Garoto, por que você não fica aqui conosco e treina até a Liga Pokémon?

Ethan encarou o Líder de Ginásio surpreso.

— Treinar? Aqui? — Questionou o garoto.
— Sim! Aqui nós treinamos duro para nos fortalecer junto aos Pokémon! Tenho certeza de que vai ser uma ótima experiência para você. — Disse o Líder.

Ethan pareceu refletir um pouco e olhou para Amy e Forrest que o encaravam atentos.

— Eu fico muito honrado com o convite, Chuck, mas eu não posso agora.

Chuck ergueu uma das sobrancelhas.

— Hmmm. Se fazendo de difícil, não é mesmo? Pois não tem problema! Assim que quiser, é só comparecer em minha academia! Eu terei um treinamento especial para fazer com você!

Ethan sorriu.

— Estarei ansioso!

Ethan passou por uma árdua batalha no Ginásio de Cianwood. Com a ajuda fundamental de Imperador, seu Nidorino, o garoto conseguiu sua quinta insígnia da Liga Pokémon. O próximo objetivo da viagem é o retorno para a Cidade de Olivine e o reencontro com Jasmine e Amphy, que o aguardam ansiosamente. E a jornada continua...!



TO BE CONTINUED...



{ 11 comentários... read them below or Comment }

  1. Legal cabra! Ficou bem bacana a batalha! Mas tipo, tem horas que eu acho o Ethan meio noia, porque ele tentou usar Bite em um pokémon Lutador e Ancient Power em um pokémon Água/Lutador. O bom é que o Nidorino evoluiu e conseguiu salvar a pele do garoto... Isso me lembra de quando eu joguei Red e evoluí um Nidorino pra Nidoking só pra derrotar o Starmie da Misty... Não questione...

    Mas bem, a "troca" no início do cáp foi bem bacana, e era algo que muitos suspeitavam a um tempinho, mas eu nem imaginava que Rocky tinha um Metal Coat (acho que é esse o nome) com ele! Bem, espero ansioso pelo próximo cáp, e, só pra avisar, eu li o 34.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Sir!

      Acho que todos nós acabamos noiando alguma vez na vida. XD Acho que, na hora da adrenalina, ele tentou improvisar e, dessa vez, não deu certo. Mas, felizmente, o pequeno Nidoran♂ evoluiu e agora Nidorino entra pra equipe!

      Forrest também acabou ganhando, não é? O Metal Coat foi adquirido lá no Capítulo 31, presente da Mariana e do George. Detalhezinho!

      Espero que continue curtindo!

      See ya, man!

      Delete
  2. Mandar os personagens para Cianwood buscar um remédio foi uma ótima maneira de adiar o ginásio de Jasmine e explorar um pouco do treinamento necessário antes do Ethan encarar os verdadeiros desafios que estão por vir. Querendo ou não, alguns líderes sempre acabam se destacando mais do que os outros. Depois da Jasmine quero ver a Clair brilhar, hein? kkkk

    Eu estava aqui me perguntando como você faria para evoluir o Onix agora que já tinha o Metal Coat em mãos, e quem melhor do que o grande Forrest para fazer isso? kkk Eu inclusive achei a personalidade dele muito bem trabalhada, seria uma adição poderosa para o time, mas tenho certeza que o mais novo Imperador será um Nidoking monstruoso e preencherá o espaço deixado. Excelente disputa, fui percebendo uma melhora bacana na escrita, Coração de Ouro está mesmo dando o que falar!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Canas!

      Até parece que eu ia deixar a grande enrolação dos jogos de fora do roteiro da história, né? Kkkkk, mesmo com as adaptações, Chuck acaba sendo o desafio de Ethan antes de Jasmine, igual estamos acostumados. E sobre a Clair: Eu já tenho algumas ideias pra ela... Vamos ver se ela vai ser tão querida pelo público quanto Jasmine foi.

      Na hora de encontrar solução, a gente inventa. Essa talvez tenha sido a evolução por troca mais esquisita que as pessoas já viram, mas eu tentei colocar todo o sentido mais plausível nisso. Não que um dia a Amy tenha que destruir a PokéBola do Blue pra ele virar um Gengar, mas... kkkkkkk

      MAL VEJO A HORA DO NIDOKING! Logo logo ele vai dar as caras na história. Mas não é agora, ainda está um pouco distante... Tem muito caminho pela frente ainda, muitos treinamentos. Ethan nem conseguiu as oito insígnias ainda, Quilava ainda nem evoluiu... Ele tem que treinar bastante antes de poder lidar com um Pokémon poderoso. kkkkk

      Fico contente que meu esforço em melhorar esteja visível. Você mesmo sabe como eu me dediquei a fazer isso, melhorar sem causar uma má impressão. Que bom que consegui! Espero continuar melhorando, junto com a história!

      Que você continue se surpreendendo com AeJ!

      See ya!

      Delete
  3. Cara, eu nem lembrava que o Rocky tinha um Metal Coat com ele. Só depois que eu terminei o capítulo eu parei pra repensar os detalhes anteriores e então caiu a ficha! Nossa, o Forrest com um Steelix agora vai ficar brabo! Já consigo imaginar que ele será um dos principais membros da equipe quando você começar a colocar em prática os planos que tem para esse personagem.

    A batalha foi bem rápida até, mas nem por isso deixou de ser complicada. Scyther não teve tempo nem de desobedecer o Ethan, pois já foi apagado logo de cara. Mas dessa vez quem tomou conta da cena foi o Nidoran, que agora é um Nidorino. E como eu amo o Nidoking, você já sabe que estarei de olho nesse cara. Mas já vi potencial. Não é qualquer um que derrota o Poliwrath sinistro do Chuck. Well done.

    Acho que é isso. Agora é pegar as coisas e voltar para Olivine. Amphy está esperando. E eu digo isso já tendo em mente no que isso vai dar... Life is a piece of shit.

    Até! õ/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Shadow!

      O Metal Coat foi quase uma mensagem subliminar mesmo. Normal você não lembrar. kkkk Agora sim a gente vai ver o Forrest quebrando o pau da barraca! Mal vejo a hora!

      Sem tempo a perder, Ethan lutou pela sexta insígnia. E que batalha, né? Espero que eu tenha conseguido faze-la tão intensa quanto as outras. E SIM, NIDORINO! Mal posso esperar pelo Nidoking! Mas ainda vai levar algum tempinho até que a gente possa ver o monstro BIRL!!! Como faz pra avançar? Kkkkkk

      Espero que você continue curtindo e aproveitando a história!

      See ya!

      Delete
  4. I AM BAAAAACK!

    eu confesso que já tinha muitas saudades da sua escrita e do mundo de johto! por essa razão, continuarei por aqui para me atualizar durante alguns tempo! ;)

    para começar, temos a evolução de onix, que agora é um steelix, e que agora pertence também a forrest! esse será sem dúvida um grande trunfo na equipa do irmão de brock!

    segundo, temos o combate de ginásio de ethan... e que combate! esse poliwrath não deixa ninguém descansado, mas este capítulo foi, sem dúvida, do nidoran de ethan, que durante o combate evolui para nidorino e venceu o pokémon de chuck!
    MAIS UM CRACHÁ PARA ETHAN!

    continuarei por estes lados, até jáááá :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Angie!

      Primeiramente, fico feliz por você estar de volta! Mais ainda por comentar, afinal, você é um dos leitores que sempre faz os melhores comentários! kkkk

      Sim! Rocky agora virou um Steelix e... Trocou de treinador! Espero que o Forrest consiga fazer um bom uso desse Pokémon, afinal, é uma especialidade dele, não é?

      São cinco Insígnias pro Ethan e, pra compensar a perda de Steelix, a adição do Nidorino! E parece que ela foi bem-vinda, afinal, foi decisiva na vitória dele!

      Espero que continue curtindo!

      See ya!

      Delete
  5. Hello Dento,
    vindo aqui comentar os ultimos 10 caps!
    Sim estou lendo em bloco, como estou parando por hoje, vou dar um apanhado geral do que eu estou achando.

    Já vou falar que estou focando na fic principal primeiro, então não tenho nenhum conhecimento dos especiais.

    Do que eu li até agora na segunda temporada, o que mais marcou concerteza foi o velho caseiro das fazendas, mano que senhozinho mais fdp que crusou o caminho dos nossos heróis, ele ainda treinou o vileplume para matar ele velho, sinto dó do nido, acho que a treinadora dele tambem virou presunto... Espero que não.

    Nesse cap o rocky foi huehue, mal virou de outro treinador e já evoluiu, eu sei que é evolução por troca, mas num foi bem uma troca né kkkkkkk

    Mano e como assim o Silver captura o Lugia com a master ball, nem sabia que os cara podia usar essa bola em fic Meu deus!!

    Agora o Ethan ta com 5 medalhas yey
    Amanha leio mais, até lá ser Dento

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Anan!

      Ah, Baoba! Com certeza um dos personagens mais antológicos do Aventuras em Johto, todo o desenvolvimento dele, todo o arco... Fiquei muito satisfeito em ter conseguido trabalhar com algo desse tipo — coisa que nunca havia feito na vida. Alma de Prata me permitiu novas experiências para aprofundar meus personagens de uma forma bastante crua mesmo... Mexer com os sentimentos dos personagens e dos leitores foi algo realmente inesperado e maravilhoso.

      Sim! Rocky mal chegou e já evoluiu! Agora, o bagulho vai ficar loko kkkk

      Silver sempre chega causando, né? Agora eles tem um Pokémon Lendário em sua posse e agora as coisas vão ficar mais interessantes...


      Espero que continue se surpreendendo!

      See ya!

      Delete
  6. Eu deveria ter comentado antes porque acabei esquecendo o que ia comentar, mas vou deixar esse só pra dizer q eu li mesmo.
    Lá se vai a chance do Ethan de ter um pokémon totalmente evoluído e realmente forte, mas bem, é para a felicidade do Rocky, então tudo ok.
    Essa foi a melhor batalha do Ethan até agora, gostei muito da força de vontade que o Nido demonstrou nesse capítulo. O pobre Schyter não teve nem tempo de desobedecer kkkk

    ReplyDelete

- Copyright © 2015 - 2019 Aventuras em Johto - Dento (Willian Teodoro) - Powered by Blogger - Designed by CanasOminous -