Posted by : Dento Aug 9, 2018




Pedalando tranquilamente com sua bicicleta em direção à Cidade de Mahogany, Vivian Chevalier, com cabelos ruivos que tocavam seus ombros, morava em Azalea, mas estava longe de casa naquele instante porque era em Mahogany onde vendia o raríssimo Rage Candy Bar, ingrediente importante da receita super-secreta passada de geração em geração da Lendária Torta de Azalea, que dizem ser tão saborosa, tão maravilhosa e tão suculenta que nem os mais renomados chefes de cozinha dos mais caros e finos restaurantes de Lumiose, em Kalos, conseguiram reproduzir a receita, muito menos descobrir como ela era feita. O vento batia em seu rosto enquanto ela avançava veloz em direção à cidade, já visível no horizonte.

O céu azul com um sol a pino que brilhava forte, em um instante, mudou de cor. Nuvens pesadas tomaram conta e uma virada do tempo inesperada fez a garota soltar uma exclamação audível. Raios e trovões violentos anunciavam que Raikou se aproximava. O Pokémon Lendário corria com velocidade pela Rota 43, passando por Pokémon que marchavam em direção ao grande lago que havia ao norte, como um grande exército que seguia ao chamado de seu líder.

— Quem é aquele Pokémon? — se perguntou a garota enquanto via o Pokémon sumir tão rápido quanto apareceu.

A garota perdeu o equilíbrio da bicicleta e estabacou-se no chão.

— Ai, ai, ai, ai! — Exclamava a menina ao levantar-se do chão e examinar as feridas nos cotovelos e nos joelhos.

A chuva começou a molhar o chão. As gotas tocavam o rosto de Vivian, que apressou-se em montar novamente na bicicleta e correr em direção ao Centro Pokémon de Mahogany, alguns minutos a frente.

Um urro agudo chamou a atenção da garota. O estranho barulho encontrava-se longe, mas atravessava as densas árvores dos bosques e montanhas que cercavam a cidade, chegando abafado aos ouvidos de Vivian. Ela hesitou por alguns instantes, mas continuou seu caminho sem olhar para trás.

***

Na televisão do quarto do hospital de onde Ethan se encontrava sob cuidados médicos sob a visita de Amy, a chamada do plantão extraordinário da emissora chamou a atenção dos garotos. A repórter estava sobrevoando um grande lago, onde um imenso Pokémon vermelho podia ser visto.

— Um Gyarados vermelho incontrolável está aterrorizando os moradores que vivem próximo ao Lago dos Magikarp! Vimos inclusive os lendários Raikou, Entei e Suicune aparentemente se dirigindo para o local, e também nosso helicóptero flagrou Bruno, da Elite 4, nas montanhas do Monte Mortar, também bem próximo ao local! Será que ele e os demais integrantes da Liga Pokémon estão indo controlar o Gyarados furioso? — Noticiava a repórter na TV, de forma eufórica.

Ethan e Amy soltaram uma exclamação alta quando imagens do Monte Mortar eram transmitidas ao vivo na televisão.

— Aquele é o Forrest?! — Exclamou Amy.

***

As portas do Centro Pokémon se abriram. Vivian, exausta e ensopada, empurrava sua bicicleta até o balcão da recepção com uma cara de muitos poucos amigos. A garota guiou a bicicleta até um dos bancos da recepção e a deitou no chão, sentando para descansar em seguida. A garota reparou em um aglomerado de pessoas próximo ao balcão do centro médico. Elas prestavam atenção nas imagens da televisão, que transmitia ao vivo o noticiário que relatava sobre o Gyarados Vermelho. Vivian soltou uma exclamação audível de espanto e curiosidade.

— Que Pokémon é esse...? — Perguntou a garota para si.

Amy apareceu correndo do corredor que dava para os quartos onde os pacientes humanos eram tratados. A garota se dirigiu até a porta automática que permitia entrar e sair do Centro Pokémon e, pelo vidro, viu a forte tempestade que caia do lado de fora. Ela hesitou por instantes e olhou ao redor. Seus olhos azuis encontraram os de Vivian, que estremeceu por alguns instantes.

— Onde é que você pensa que vai? Pode voltar agora pro quarto! — O tom zangado que a Enfermeira Joy falava chamou a atenção de todos os presentes.

Ethan, de avental cirúrgico, tentava aproximar-se do local onde Amy se encontrava. Uma Chansey aproximou-se do garoto, parou em sua frente e esticou os braços impedindo que o garoto continuasse o caminho.

— Me deixe passar, Chansey, eu preciso ir atrás do meu amigo.
— Eu não lhe dei alta! Faça o favor de voltar para a cama, agora! — Ordenou Joy com uma voz firme.

Ethan olhou para Amy, como se suplicasse sua ajuda.

— Você precisa ficar bom logo. Prometo trazer Forrest de volta. — Disse a garota.
— Mas, Amy...
— Eu volto depressa — ela sorriu de forma doce para Ethan.

Vivian observava atentamente, sem falar nada. Tomou um susto quando percebeu Amy aproximando-se.

— Essa bicicleta é sua?
— É sim. Por quê?
— Acredito que com o temporal lá fora, você não vai usá-la, certo?

Amy ergueu a bicicleta de Vivian e a fez soltar uma exclamação.

— Ei! O que você tá fazendo?!
— Depois eu te devolvo.

Amy correu em direção à porta, saindo por ela e subindo no banco da bicicleta de Vivian. Botou o pé nos pedais e acelerou em direção ao norte. Vivian correu atrás da garota.

— CÊ TÁ MALUCA? ESSA É A MINHA BIKE, VOLTA AQUI!

***

Forrest e Bruno rumavam em direção ao Lago dos Magikarp montados em Rhyhorn e acompanhados de perto pelos Pokémon do moreno, fora de suas PokéBolas. Não demorou muito para que avistassem ao longe o grandioso Pokémon disparando raios coloridos de sua boca. Sua ira era imensa. Por um instante, Forrest tremeu. O suor escorria por seu tronco nu misturado com as gotas da forte chuva que caia naquela rota e suas mãos escorregavam ao tentar segurar no pescoço de seu Pokémon. Sentiu algo aproximando com velocidade e ao olhar para trás, viu os lendários Raikou, Entei e Suicune correndo em direção ao lago. As três criaturas místicas passaram por Forrest e Bruno ignorando sua presença.

— Forrest! — Ao ouvir seu nome sendo chamado, o garoto olhou para trás mais uma vez. O moreno não pode deixar de soltar uma exclamação audível quando viu Amy chegando cada vez mais próximo de Rhyhorn.

Os olhos dos dois se encontraram, mas eles nada disseram. Continuaram rumando para o norte, onde já era possível sentir o cheiro da grama das margens do grandioso lago.

***

Com as roupas sujas de lama, cabelos desgrenhados e uma aparência nada feminina, Vivian Chevalier apoiava-se para descansar em uma árvore do bosque da Rota 43, xingando Amy de todos os nomes que conhecia. Mesmo com a respiração ofegante após correr atrás da ladra de sua bicicleta, ela não deixava de soltar maldições contra ela.

— Eu não achei que eu ia ficar tão feliz em encontrar você.

A voz de Ethan no meio da chuva fez Vivian soltar um berro.

— WAAAAAH!!! QUEM É VOCÊ E O QUE QUER DE MIM?!
— De você eu não quero nada! Eu quero saber é da Amy, aquela garota que estava com você. Pra onde ela foi?

A garota fechou a cara.

— Aquela cretina roubou a minha bicicleta! Eu não tenho certeza, mas ela foi em direção àquele lago de onde vêm os rugidos estranhos.
— Obrigado — Ethan passou por Vivian e seguiu seu caminho rumo ao lago.

A ruiva olhou fixamente para o garoto e pareceu refletir por alguns instantes, como se quisesse lembrar de algo.

— Ei, você não é aquele maluco que tentou fugir do hospital?

Ethan parou. Com um sorriso, virou-se para encarar a menina.

— Parece que a tentativa deu certo — ele ajeitou seu boné e retomou a caminhada. Não estava mais com o avental cirúrgico do hospital, mas não vestia camiseta alguma. A bermuda preta com o cinto afivelado e os tênis desgastados eram o único look que cobria o corpo do garoto.

Vivian ergueu o cenho e, visivelmente confusa, começou a tagarelar seguindo o garoto.

— Ei, mas como assim? Como você conseguiu? A Enfermeira Joy sabe que você fugiu? Cadê seus Pokémon? Você pode pegar uma gripe debaixo de uma chuva como essa! Atchim! Ai, porcaria... Ei, você não tá me ouvindo falar, não? Eu to falando com você, ô, mané!

***

Red e Lance encaravam atônitos o lago que agora não só tinha o Gyarados vermelho, mas outros quatro Gyarados azuis recém-evoluídos, todos muito nervosos. Os dois treinadores experientes não sabiam qual atitude tomar. Sem se darem conta da coincidência, os treinadores sentiam uma leve pontada de dor de cabeça ao mesmo tempo.

Podia ser devido a mudança brusca do tempo. O anúncio de um possível resfriado chegando? Talvez. No Centro Pokémon, pediriam analgésicos à Enfermeira Joy.

— Eu sei que é da natureza desses Pokémon a ira incontrolável, mas... Isso é um grande exagero — comentou Red. — Por que eles estão tão nervosos assim?
— Eu não faço ideia... Tem que ter alguma coisa que esteja alterando o comportamento desses Pokémon... Será que é a água?
— É um ótimo chute, mas... Não parece ser o caso aqui.
— Eu não consigo me lembrar... Por algum motivo, tem alguma coisa bloqueando. É como se eu soubesse a resposta, mas ela não me aparece de jeito nenhum...

Pokémon de todas as espécies começaram a surgir aos arredores. Eles eram muitos e, como se estivessem hipnotizados, seguiam para a margem do lago. Red e Lance olhavam um para o outro e não sabiam o que dizer. Ao examinarem os Pokémon que se aproximavam cada vez mais, percebiam que suas pupilas estavam dilatadas, que rosnavam baixo e caminhavam de forma ameaçadora, como um predador que cercava suas vitimas.

Raikou, Entei e Suicune surgiram em disparada na margem do lago, mas os dois rapazes que já estavam presentes ali se surpreenderam mais com Amy, Forrest e Bruno chegando em seguida.

— Bruno! O que faz aqui? — Perguntou Lance em tom surpreso.
— Assuntos de família. Mas parece que esse aqui me parece muito mais interessante... — Bruno encarou Red. — Bom te ver depois de tanto tempo, garoto.
— Digo o mesmo, senhor Bruno — cumprimentou o garoto.
— Acredito que não seja uma boa hora para cumprimentos — comentou Forrest, sério. — Controlar os Gyarados é a nossa prioridade.

Amy encarou o amigo. A expressão de surpresa em seu rosto era evidente, afinal ele não tinha por característica ser alguém metódico.

Lance levou a mão direita em direção à têmpora. A dor de cabeça começava a incomodar.

— Enxaqueca logo agora...? Droga.

Red olhou para o homem e também percebeu que em sua cabeça, uma incômoda latência chamava sua atenção.

— Agora que você falou... Coincidentemente estou começando a ficar com dor de cabeça também...

Um poderoso trovão caiu próximo às águas cristalinas do lago. Lance, Red, Amy, Forrest e Bruno cobriram os ouvidos com as mãos para tentar aliviar do imenso barulho que ocorreu imediatamente. Raikou encarava os Gyarados com ódio. O de cor vermelha colocou-se em frente aos outros e retrucava o olhar do lendário Pokémon de forma semelhante, como um general protegendo seu exército. O Gyarados Vermelho disparou o Dragon Rage na direção do poderoso oponente, mas o golpe foi bloqueado quando Raikou usou seu movimento Reflect. Uma forte onda de vento e fumaça espalhou-se pelo lugar, fazendo as hordas de Pokémon moverem-se alguns centímetros dos lugares onde assistiam, calados, os eventos que se desenrolavam ali.

— Acho que os Gyarados se tornaram o menor dos nossos problemas... — comentou Lance, encarando o lago de forma séria.

Red soltou uma exclamação ao ouvir Forrest berrar de repente.

— Mas o que diabos está acontecendo aqui?!

O corpo de Rhyhorn emitiu um brilho forte. Começou a ficar maior e mais musculoso, subitamente apoiando-se nas duas patas traseiras e erguendo-se de forma ereta. O chifre entre seus olhos também cresceu e ficou pontudo, tomando a forma de uma broca. Saliências surgiram em sua cabeça e ao lado de suas orelhas triangulares, formou-se uma crista larga e ondulada e sulcos pontiagudos em suas bochechas. Ganhara olhos ainda mais vermelhos, cor de sangue e uma fileira de espinhos pontiagudos nas costas, que terminava em uma longa cauda com listras pretas e finas. Não era apenas o Pokémon de Forrest que havia evoluído. Dezenas de Pokémon passavam pelo mesmo processo ao mesmo tempo. O Lago dos Magikarp também emitia um forte brilho branco que vinha do fundo de suas águas, onde mais alguns Gyarados enfurecidos emergiam para a superfície.
File:112Rhydon.png


— Todos esses Pokémon evoluíram... Ao mesmo tempo?! — Exclamou Amy.
— É a primeira vez que eu vejo isso... Isso não é algo convencional! — Lance sentiu medo pela primeira vez.

Red gritou de dor e ajoelhou-se na grama verde. Levava as duas mãos à cabeça, que parecia que iria, literalmente, explodir a qualquer instante. As lágrimas de desespero do garoto escorriam pelo seu rosto, traçando o contorno do pânico que ele sentia naquele instante.

— Alguém faz parar essa dor... Eu imploro...

No lago, os Gyarados em conjunto começaram a fazer uma dança estranha. Rodavam hipnoticamente dentro de um grande eixo e iam acelerando cada vez mais. Um imenso tornado foi sendo produzido e, de uma vez, foi lançado em terra. Os Pokémon presentes, incluindo os cães lendários, foram arremessados para longe. O enorme ciclone ia aproximando-se cada vez mais veloz da direção onde Amy, Forrest, Red, Lance e Bruno permaneciam inaptos a fazer alguma coisa.

Mirror Coat e ThunderWave!

Dois estalos agudos foram ouvidos em sequência. Uma bolota azul emanando uma luz violeta pulou na frente do grupo e recebeu o iminente ataque em cheio.

Foi Amy quem primeiro percebeu que seus ossos não se partiram com o impacto de um ataque tão violento. Ao ter a coragem de abrir seus grandes olhos azuis, exclamou com surpresa ao ver Wobbuffet protegendo-a como os braços abertos, expelindo com força o poder do Twister de volta para o lago, em direção aos Gyarados furiosos. Ao seu lado, Magnemite produzia de seus imãs eletromagnéticos um raio elétrico que foi atraído pela água do lago, conduzindo-o diretamente para os Pokémon parcialmente submersos.

O ThunderWave paralisou o grupo de Gyarados selvagens. Amy voltou a atenção para a única pessoa que ela sabia que tinha aqueles dois Pokémon.

— Ethan!

O garoto sorriu ao ouvir seu nome sendo dito por ela.

— Fico feliz por ter chegado a tempo.

Ethan sentiu um soco no estômago ao ver Forrest, parado a alguns metros em sua frente. Os últimos dias longe do amigo pareceram uma eternidade. E agora, vê-lo ali tão próximo, era quase como se fosse uma assombração.

— Forrest...

O moreno olhou para o companheiro e encarou o chão, cerrando os punhos. Ele estava prestes a dizer alguma coisa quando um grito agudo o interrompeu.

— VOCÊ É A MALUCA QUE ROUBOU MINHA BICICLETA! ONDE FOI QUE VOCÊ A COLOCOU?!

Vivian Chevalier avançou ferozmente na direção de Amy que como se usasse um Pursuit, desviou agilmente das garras da ruiva, que deu de cara no chão.

— Eu não sei se você é maluca, mas não é o momento, e também não é aqui, que essa conversa deve acontecer.

Vivian ainda encarava Amy com raiva quando assustou-se outra vez.

Entei rugiu tão ferozmente que o chão começou a tremer, como um abalo sísmico. Humanos e Pokémon tombaram ao chão como se este fosse feito de sabonete. A fúria do cão lendário subitamente foi convertida em um poderoso lança-chamas disparado de sua bocarra enorme na direção de Gyarados Vermelho. O Flamethrower, porém, não pareceu surtir efeito algum.

Inúmeros Pokémon começaram a evoluir ao redor do lago ao mesmo tempo outra vez. Ethan e Vivian foram quem se surpreenderam dessa vez.

— Evolução? Todos eles? Mas como?! — Exclamou o garoto.
— Tem alguma coisa enorme induzindo a evolução desses Pokémon, e consequentemente sua fúria... Precisamos descobrir logo o que está acontecendo — comentou Lance.
— Não temos tempo de ficar pensando. É melhor fazermos algo antes que nós é que nos tornemos os alvos — Bruno sacou uma PokéBola do bolso de sua calça branca e arremessou ao ar.

Onix surgiu imponente. A enorme serpente de pedra urrou tão alto que imensas vibrações puderam ser sentidas sob os pés de todos ali, derrubando Vivian mais uma vez.

— Larvitar, você também! — Ethan convocou seu Pokémon arremessando sua PokéBola.
— Rocky, é com você! — A serpente metálica de Forrest que acompanhava tudo em silêncio ao lado do moreno prontamente atendeu ao pedido de seu mestre.
Sandstorm! — Bradaram os três simultaneamente.

Uma enorme tempestade de areia e terra subiu do chão. O redemoinho se ergueu e espalhou-se pelo campo, diminuindo a visibilidade do local. Se apenas um daqueles Pokémon já podia causar um efeito devastador com o golpe, os três combinados foram mais do que o suficiente para que diversos dos Pokémon ali presentes, entre Caterpie e Pidgey a Ampharos e Gyarados, além de Raikou, Entei e Suicune, fossem arremessados em diversas direções. O dano e o estrago que o Twister bloqueado a pouco não conseguiu, o Sandstorm combinado causou triplicado.

Ainda não se podia ver nada devido ao golpe. Os Pokémon estavam zonzos, tentando situarem-se em meio àquele caos. No entanto, Ethan não conseguiu prestar atenção no que acontecia ao seu redor, muito menos focou em procurar seus amigos. Larvitar gritava alto e o garoto tentava localizá-lo em meio à intensa poeira que o cercava.

Quis agradecer pela repentina luz que brilhou centímetros a sua frente, coincidentemente próximo aos gritos de seu Pokémon.

Mas coincidências não existiam.

Aquele brilho era o corpo de Larvitar transformando-se completamente. O Pokémon levitou alguns centímetros do chão e grandes pedaços de pedra e rocha foram arrancadas a força do solo ao redor, sendo atraídas com violência para seu corpo, o envolvendo completamente. Seus olhos vermelhos agora eram visíveis através de dois buracos formados na concha rochosa e parte superior do corpo agora havia ficado coberta por uma placa semelhante a uma máscara com quatro pontas grandes em ambos os lados enquanto três pontas adicionais se projetavam de sua testa, como uma crista enrijecida.


File:247Pupitar.png



Pupitar, um Pokémon Concha Dura. É a forma evoluída de Larvitar. Sua casca é tão dura quanto uma placa de gesso, e também é muito forte. Uma porrada dada por esse Pokémon pode derrubar uma montanha. Mesmo selado em sua concha, ele pode se mover livremente. Duro e rápido, tem um poder destrutivo excepcional — informou a PokéDex de Ethan.

Vivian sorriu.

— Seu Pokémon evoluiu! Agora eu to vendo vantagem! Vai lá e chuta a bunda deles!

Ethan não parecia estar contente.

— Eu não tenho certeza se o Larvitar estava pronto pra evoluir...

O garoto apenas acompanhou Pupitar cair ao chão, exausto. Recolheu-o para a PokéBola e a fitou por alguns instantes.

Icicle Spear.

Flechas de gelo foram disparadas de algum lugar atrás de Ethan e passaram por cima de sua cabeça. Não pareceu mirar em nenhum Pokémon ao redor ou nos Gyarados furiosos ao centro do lago.

A forte chuva que caía sob o local fez cessar a nuvem de poeira, areia e terra originada pelo Sandstorm. Os Pokémon que haviam sido arremessados para diversos lados nas margens do lago aos poucos iam se erguendo.

Ao levantarem, todos ali arregalaram os olhos surpresos.

Red já tinha visto aquela espécie de Pokémon diversas vezes durante sua jornada, mas nunca ouvira falar de um daquele jeito. O incômodo com sua enxaqueca pareceu diminuir no mesmo instante em que reparou naquele Pokémon.

Nem em um sonho mais louco, Forrest imaginaria ver algo do tipo.

Até mesmo Lance e Bruno, mesmo que já tivessem ouvido falar da existência daquele tipo de Pokémon, olhavam aquele espécime pela primeira vez.

Nenhum dos Pokémon que Amy vira na vida comparava-se àquele que estava a sua frente.

A cabeça de Ethan parou de funcionar por um instante que pareceu uma eternidade. Ele tinha um Pokémon daquele bem ali, no bolso de sua bermuda. Mas... Aquele Sandslash era muito diferente do que utilizava.

Aquele tinha uma pele azul e seus espinhos eram completamente feitos de gelo, aparentando ser bem maiores do que as de um Sandslash comum. Suas garras eram compridas, mais finas e enganchadas nas pontas.



File:028Sandslash-Alola.png


Apenas Vivian Chevalier pareceu não dar a mínima atenção para o Pokémon. Seus olhos encaravam um senhor de idade, com cabelos brancos como a neve, que estava parado logo atrás da ruiva. Usava uma blusa branca com gola até o pescoço com um suéter rubro, uma calça cáqui e um sapato de couro marrom. Devido à idade, o velho apoiava o peso do seu corpo em uma bengala, devido à fraqueza dos ossos.



HeartGold SoulSilver Pryce.png


— Vovô Pryce! — Exclamou a ruiva.

Pryce olhou de forma carrancuda para a menina.

— Vivian, você não deveria estar aqui. É muito perigoso, principalmente agora com os Pokémon fora de controle desse jeito.

A garota abaixou a cabeça, envergonhada.

— Me perdoe vovô. Não era minha intenção.

Pryce reparou nos demais.

— Elite 4. Ou metade dela, pelo menos. Vejo que vocês já estejam cientes de que a Equipe Rocket mantém um quartel general em algum lugar na minha cidade e instalaram essas torres de transmissão ao redor das montanhas — disse o velho, seco.

Red arregalou os olhos. Lance ergueu o cenho.

Memórias invadiram a cabeça de Amy como se as águas de uma represa tivessem sido liberadas todas de uma vez.

Red a encontrou no Monte Mortar. Após confrontá-la, ele havia mencionado algo sobre a Equipe Rocket.

— Enquanto vocês se mantiveram perdidos aqui dentro, eu continuei investigando a Equipe Rocket. Após o ataque na Rádio de Goldenrod, eu fiquei me perguntando o motivo do interesse por radiocomunicação. A resposta me apareceu quando eu percebi que as pessoas e os Pokémon começaram a agir estranhamente nos arredores de Ecruteak. Lance também mencionou que os moradores de Mahogany têm se queixado de que os Pokémon que moram próximos ao lago ao norte da cidade têm agido de maneira estranha, atacando a todos que passam por ali, se escondendo em suas tocas.

Amy encarou Red de forma séria.

— O que quer dizer com isso?
— Eles, de alguma maneira, estão controlando Pokémon à distância por ondas de rádio.

Um sopro de realidade tomou conta do íntimo dos três.

Amy sacou uma PokéBola da bolsa e liberou Pidgeot.

— O que você vai fazer? — Perguntou Ethan.
— É tudo culpa da Equipe Rocket! É por isso que os Pokémon estão fora de si, estão sendo controlados de alguma maneira! — Exclamou a garota montada nas costas da grande ave.

Lance aproximou-se de Pryce.

— Onde estão as torres? Precisamos destruí-las imediatamente!
— Não me diga... Se você ainda não percebeu, Sandslash derrubou uma.
— Ali em cima, olhem! — Apontou Vivian.

As árvores às margens do Lago dos Magikarp cresceram morro acima na localização da Rota 43. Escondida entre os troncos mais próximos da água, um pedaço de uma torre de transmissão era visível. Havia sido quebrada ao meio pelo Icicle Spear de Sandslash.

— Estão espalhadas por todo o lugar por entre os bosques... Devo proteger essa cidade com a minha vida, se necessário, e eu falhei em não perceber com antecedência o que esses malditos estavam fazendo...

Pryce apertou a mão com força contra o apoio da bengala. Lágrimas vieram molhar seus olhos e sua voz ficou embargada.

Amy decolou com Pidgeot. Ao passar por cima do lago, o Gyarados de cor vermelha encarou-a e ergueu-se ferozmente. Inalou uma enorme quantidade de ar e regurgitou um poderoso Dragon Rage na direção da garota, atingindo Pidgeot e fazendo a Pokémon e sua mestra caírem em queda livre em direção à água.

Ela não ouviu seu nome sendo gritado por seus amigos. Ela não viu o tempo passar. Em queda livre, sentia que aqueles poucos segundos até o impacto na água se tornavam uma eternidade. Seu inseparável chapéu, inclusive, delicadamente soltou-se de sua cabeça. Em um último ato de consciência, retornou Pidgeot para a PokéBola.

A garota fechou os olhos e sentiu seu corpo bater violentamente contra a água, afundando completamente.

Ethan soltou um berro desesperado e correu em direção ao lago. Suicune correu para a frente do garoto para impedi-lo de chegar até a água.

— SAI DA MINHA FRENTE!

Faísca, seu Magnemite, prontamente se colocou na frente de seu mestre e disparou um poderoso ThunderShock no oponente. Suicune, zonzo, não impediu Ethan de passar por ele.

Ethan não se importou com o fato de não saber nadar, muito menos na hipótese de que ele provavelmente pegaria um resfriado ou uma hipotermia devido à baixa temperatura da água. Ou quem sabe, morrer eletrocutado caso um raio vindo do céu caísse sobre o Lago dos Magikarp. Ter os ossos quebrados por um ataque furioso dos Gyarados perigosamente próximos não era problema com que se preocupar. Ele apenas queria salvar Amy, de qualquer maneira.

Mas, afobado, o garoto não conseguia mergulhar. Seu fôlego não permitia que ele chegasse sequer alguns metros debaixo d’água para salvar a garota, e odiava-se aquele instante por não ter trazido Quagsire consigo. Ele via o corpo de Amy, desacordada, ir cada vez mais para o fundo. O impacto da queda fez sua bolsa abrir e o garoto via alguns dos objetos que a garota guardava espalharem-se com ajuda da correnteza, incluindo suas PokéBolas, que por serem mais leves, flutuavam numa dança descoordenada próximo do garoto.

Na superfície, as demais pessoas agora observavam com atenção. O Sandslash de gelo permanecia lutando contra Pokémon selvagens que, tomados de ira, partiam para cima. O medo de ter os Pokémon descontrolados fazia os treinadores hesitarem em enviar os seus para se protegerem.

Mas Forrest estava pensando diferente. Olhava seus Pokémon que encontravam-se olhando para o abalado Rhydon, que não conseguia acostumar-se com seu novo corpo recém-adquirido. O moreno fechou os punhos com força.

— Eu não vou perdoar terem feito isso com o meu Pokémon... Eu achava que não era merecedor de ser um treinador após a batalha contra Argenta, mas...

Bruno colocou sua mão esquerda no ombro direito de Forrest e o apertou com força.

— Lembre-se de seu treinamento. Não treinamos força ou estratégia, treinamos a sua mente! Blinde sua mente contra qualquer tipo de interferência sentimental! Seja uma pedra e prove que você é merecedor da equipe que construiu em sua jornada. Mesmo abandonando seus Pokémon, eles vieram atrás de você, e isso só mostra o quanto eles confiam em você. Agora resta você mostrar o quanto confia neles, garoto.

Forrest sorriu.

— Obrigado, tio. Tá na hora de eu mostrar o que eu sei fazer.

Red deu um sorriso de canto de boca.

— Eu não sei o que estou temendo... A Equipe Rocket pode até controlar um exército de Pokémon, mas... Eles ainda estão controlando à distância — e sacou uma PokéBola. — Venusaur, Frenzy Plant!

Do enorme botão de flor em suas costas, grossas raízes saíram e penetraram o chão com violência. Uma aura de cor verde pareceu contornar seu corpo enquanto suas poderosas pernas eram fortemente pressionadas contra o chão. Raízes gigantes com espinhos quebraram o chão e espalharam-se rapidamente por todo o solo, derrubando diversos Pokémon ao mesmo tempo, jogando-os para cima ou fazendo-os tropeçar.

Forrest olhou para seus Pokémon de forma séria. Todos os seis olharam no fundo dos olhos de seu mestre e o aguardaram falar.

— Pessoal, eu não tenho tempo pra pedir desculpas a vocês, mas eu sinceramente gostaria de trabalhar junto com vocês agora. Será que vocês poderiam me dar uma forcinha?

Os Pokémon do garoto se entreolharam, mas fora Rhydon quem se levantou e se colocou perante ele. Eles se olharam por alguns segundos e, lentamente, caminhou até a frente do garoto. Seu antebraço brilhou e o Pokémon deu um poderoso soco no chão, desequilibrando um grupo de Pokémon que perigosamente aproximava-se dele.

Rhydon olhou para seu treinador. E por um segundo, Forrest pensou tê-lo ouvido falar com ele.

Vamos enfrentá-los juntos, mestre.

O garoto deu um passo para trás e achou que havia enlouquecido. Mas, ele tinha certeza de que, se aquilo fosse real, ele finalmente havia começado a entender o coração de seus Pokémon.

E sorriu.

— Obrigado... — Forrest limpou os olhos para impedir que lágrimas escorressem. — Vamos nessa, pessoal! Rhydon, Earthquake, Graveler, Magnetude!

Os dois titãs da equipe prontamente atenderam o pedido de seu treinador. Ao juntarem suas forças, um imenso terremoto de proporções catastróficas terminou de destruir o que insistia em permanecer intacto. Mais hectares do grande lago partiu-se no meio e mais Pokémon caiam derrotados.

Raikou, Entei e Suicune permaneciam desviando dos golpes, permanecendo o tempo todo próximo ao lago.

Lance aproximou-se de Pryce.

— Venha comigo procurar e destruir todas as torres de transmissão ao redor do lago. Preciso de sua ajuda para conseguir.

O idoso encarou de maneira fria o homem ruivo antes de responder.

— Tudo bem, acredito que será mais fácil dessa maneira. Sandslash, por favor.

O Pokémon de gelo desviando majestosamente dos grandes pedaços irregulares de terra, lama e pedra quebrada que ficava em seu caminho girou veloz até seu treinador. Lance invocou seu Dragonite e com Pryce montou em suas costas, alçando voo em direção às montanhas.

Ao ver o Pokémon se aproximando, Gyarados novamente pegou ar para soltar um novo Dragon Rage. No entanto, paralisou. Uma grossa camada de gelo o cobriu de baixo para cima, assim como a água ao seu redor, até congelá-lo por completo.

Dewgong alcançava a superfície com o corpo de Amy. Ethan apareceu logo em seguida, boiando em Wobbuffet.

Vivian correu para auxiliar os Pokémon a tirar os corpos da água. Tremendo de frio, tossindo muito e cuspindo água, Ethan mal deixou a garota terminar de puxá-lo.

— A Amy! Temos que ver como ela está!

Os dois soltaram uma exclamação ao notarem que o corpo de Amy estava gelado. Seus lábios estavam num tom azulado e grandes olheiras tomavam conta de seu rosto.

— Isso não é bom... — comentou Vivian.
— Amy, por favor... Você não pode morrer... Você... — O garoto gaguejava enquanto checava o pulso fraco da garota.
— Rápido, menino, faz uma respiração boca a boca!
— O quê?! Como assim, boca a boca?
— Eu vi num filme uma vez, pode dar certo! Rápido, antes que ela bata as botas de verdade!

Ethan olhou para o rosto da menina enquanto sua respiração ficava cada vez mais rápida. Fechou os olhos e encostou seus lábios nos de Amy. Seu coração parou por um segundo. Um fluxo ininterrupto de pensamentos preenchia sua cabeça enquanto ouvia explosões ao longe provenientes da destruição das antenas de radiotransmissão.

— ISSO É UM BEIJO, NÃO É UMA RESPIRAÇÃO BOCA A BOCA, SEU IDIOTA!

Vivian deu um tapa na cabeça de Ethan.

— Desculpe... Eu nunca fiz respiração boca a boca antes...

Entei aproximou-se do corpo de Amy. Os pelos no corpo do Pokémon se eriçavam devido ao intenso calor que produzia.

Vivian encarou admirada.

— Ele é o Pokémon mais bonito que eu já vi...

Ethan aproximou-se de Entei.

— Por favor, salve ela... Eu não sei se você consegue me entender ou tem poder pra isso, mas eu te imploro, não deixe a Amy morrer...

Vivian encarou o garoto de forma doce.

— Nossa, você é apaixonado por ela de verdade.

Ethan ficou mais vermelho do que o pelo no corpo de Entei.

— É o quê?! Eu não sou... Quer dizer, eu acho que... É....

O garoto calou-se imediatamente ao perceber Entei o olhando, como se estivesse lendo sua alma. Em seguida, olhou para Amy.

Não se sabe se foi pelo calor emanado por Entei, mas a garota se mexeu. Ela tossiu algumas vezes antes de começar a vomitar água. Ethan rapidamente a auxiliou, virando a cabeça da garota para o lado para ela não engolir a água de volta.

Forrest e Red aproximaram-se correndo acompanhados de Bruno.

— Amy, você está bem?! — Perguntou Forrest, preocupado.

A consciência da garota voltava aos poucos. O cheiro da grama molhada, a brisa que soprava do norte... Seus sentidos iam retornando às funcionalidades.

Ela abriu os olhos e reconheceu Ethan e Forrest.

— Meninos... O que aconteceu?
— Ainda está acontecendo... Você está bem? — Perguntou Lance.
— Estou um pouco zonza e... Tem água nos meus ouvidos. Mas eu acho que estou bem.

Amy tentou se levantar, mas seus músculos se recusavam a fazer qualquer tipo de movimento. Ela caiu sentada novamente.

O grupo assustou-se. Lance e Pryce pousaram alguns metros de distância deles e dirigiram-se até a margem do lago onde todos se encontravam.

— Acredito que derrubamos todas as torres, mas não é garantido — comentou o campeão.
— Como assim? Existem mais?! — Exclamou Ethan.
— Olhem ao redor. Com certeza isso foi apenas um experimento... Tenho certeza que ainda não acabou. Se quisermos parar de vez com essa crueldade, nós precisamos destruir a fonte desse poder — Pryce apoiava-se em sua bengala enquanto falava de forma fria.

As hordas de Pokémon derrotadas e espalhadas pelo chão ergueram-se. Balançaram as cabeças e tentaram localizar-se em meio àquela bagunça. Rapidamente, fugiram em debandada para os bosques da Rota 43.

Raikou rugiu pela última vez e também saíra dali, seguindo em direção ao desconhecido. Com Entei e Suicune o imitando, a chuva cessou.

Ethan sacou uma PokéBola e liberou Quilava. O Pokémon descongelou o lago e os Gyarados, incluindo seu líder de cor vermelha, encararam-se confusos e olharam para os humanos pela última vez antes de mergulharem para o fundo das águas cristalinas que chamavam de lar.

— O que me dá mais raiva é o fato dos porcos Rockets terem feito tudo isso com Pokémon inocentes... Os Pokémon não têm nada a ver com isso — comentou Lance em um tom de voz raivoso.
— É em Mahogany que eles se encontram. Devemos nos unir para acabar de vez com esse grupo de cretinos — Pryce também estava bastante irritado.

Amy foi auxiliada por Ethan e Forrest para poder se erguer do chão.

— Não se preocupem. Vocês serão vingados — disse Forrest com firmeza.

Ethan e Amy se olharam de forma séria, mas nada disseram naquele momento.

As ondas de radio que controlavam os Pokémon vinham de torres de transmissão derrubadas por Lance e Pryce, mas isso está longe de ter sido a solução do problema. Ethan e Amy reencontram com Forrest e mesmo que muita coisa ainda precise ser esclarecida, o foco dos garotos está na Cidade de Mahogany, onde suspeita-se de que a Equipe Rocket, responsabilizada pelo caos no Lago dos Magikarp, esteja escondida em um quartel general secreto na cidade. Com o auxílio de Red, Bruno e até mesmo da garota chamada Vivian Chevalier, as respostas nebulosas parecem ficar mais próximas de serem esclarecidas.


TO BE CONTINUED...



{ 15 comentários... read them below or Comment }

  1. Dento, muito bacana. Eu acabei de ler e poxa, tu fez um capítulo incrível. Só tem uma coisa que me incomoda, que é você ter escrito "receitei alta", porque não soa bem, "dei alta" cai melhor.

    Mas sério, o plotar tá top, tô gostando de ver. E amei o jeito como você evoluiu Ryhorn e Larvitar. Espero que o próximo capítulo também seja emocionante.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Sir!

      Fico muito feliz que você tenha gostado! Eu me esforcei bastante com esse capítulo, até porque é parte importante dos jogos e eu precisava dar um grande destaque.

      Pode crer! Desculpa pelo vacilo. Escrever de madrugada pode causar esse tipo de coisa. kkkk Corrigido!

      Espero continuar surpreendendo você. =)

      See ya!

      Delete
  2. Yo Dentooo

    Estou aqui para comentar mais um capítulo de AeJ =]

    Primeiramente o Red não morreu,era esse print que você tinha mandado não?Eu não vi,mas creio que se encaixa perfeitamente com as reações de "O RED VAI MORRER?" huashaushuas(ou talvez ele vai morrer depois,nunca se sabe).

    Cara esse foi o capítulo dos personagens sem camisa né?huashuashuas.

    Em minha desumilde opinião Ethan fugindo do hospital deveria ser um filler revelado pelo autor no futuro,tipo Agente Ethan,Operação fuga do hospital huehuehue.

    E amy roubando bicicletas foi inesperado,mas parando pra pensar ela sempre foi uma criminosa por fazer parte dos rockets,então um roubo de bicicleta é de boas pra ela.

    E você deve estar se perguntando:Nossa eu já li bastante coisa e nada de gritos e comoção pelo momento Ethamy,e até teria porém em respeito aos shipps recém enterrados(R.I.P Ethamine),não teremos nada disso,e também pois parece que ela nem sabe que foi beijada :v

    Agora acabaram as piadinhas e vamos para comentários "mais sérios".

    Gostei muito do capítulo,principalmente de alguns pequenos pontos que são detalhes mas acredito que fazem diferença,por exemplo o Rhydon recém evoluído não ter tanto equilíbrio afinal de contas ele acabou de ficar em pé,e não estava preparado,então faz todo sentido ele não estar acostumado com isso.

    Tivemos duas evoluções,não foram tipo aquela emoção de evolução no meio da batalha e superando seus limites,mas gostei delas,e do que elas representam,tipo você ser forçado a fazer algo que não queria,que não estava pronto,e que mesmo eles tendo evoluído não representa algo necessáriamente bom,apenas que vão ter que tornar essa evolução "precoce/forçada" boa.

    Bem tenso o momento em que os Gyarados se preparam pra destruir tudo,porém eles são salvos pelo mon que ninguém esperava,sim ele mesmo Wobbuffet(ele não é o mon que eles mereciam,mas é o mon que precisavam).

    Outra coisa que gostei bastante foi o "Z Sandstorm",provavelmente eu já disse em algum capítulo mas não me lembro agora então se já disse vou comentar de novo,eu gosto muito desses ataques/movimentos que são possíveis em fics,sandstorm é um move que nem causa dano nos jogos,aquilo ele foi mega destruidor e poderoso,e isso foi incrível.

    E também teve o reencontro do trio,eles não se falaram tanto,mas é esperado que o clima entre eles ficasse um pouco estranho depois do Forrest fugir para as colinas

    O capítulo foi incrível(principalmente pra quem shippa Ethamy,que parece ser mais real a cada dia :3)

    See Ya

    Ps:ACHOU QUE EU NÃO COMENTARIA O CAPÍTULO DE NOVO?Se enganou meu caro =)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Dark!


      RED VAI MORRER! Um dia, quem sabe. Eu posso matá-lo? Posso. Posso deixar ele morrer de idoso? Posso também. Até o fim da fic eu decido. HEAUAHUAEHEA

      PODE CRER! Geral sem camisa. E olha que tava chovendo, imagina se tivesse calor? HEAUHAEUAEH Todo mundo nu!

      Shhh, não revele meus planos! Esse é um arco de 15 capítulos que eu pretendo fazer na temporada final, e acredito que todos vão gostar. Afinal, é o grande mistério da história. Quem, Celebi? Nah, é COMO O ETHAN FUGIU DO HOSPITAL. HEAUHEAUEAHUAEH Vai ser bem loko!

      Siiim, a Amy é ladra experiente. Ela roubou a Equipe Rocket já, então imagina uma bicicleta, né não? EHAUEAHUEA Fácil, fácil!

      PODERIA ETHAMY TER UM FIM TRÁGICO???? Talvez. Eu gosto da ideia. HEAUHEAUHUEA Mas eu não posso ser tão cretino assim, então relaxa. XD

      Eu sempre penso nesses detalhes. Evolução forçada é um assunto interessante de se trabalhar, e eu não podia fazer ele de qualquer maneira. Você sabe que me esforço pra fazer um drama bem feito, onde os personagens possam se desenvolver ainda mais e que essa emoção toda possa ser passada para o leitor de uma forma crível, que não seja forçada. Então eu fico muito feliz e satisfeito que eu tenha conseguido fazer isso. Agora (e sempre) é melhorar ainda mais pro próximo capítulo!

      WOBBUFFET É O MELHOR POKÉMON DE POKÉMON E TENHO DITO! Não é a toa que ele é o mascote da Aliança, do blog e da minha foto de perfil. Eu amo ele DEMAIS, e por isso, eu tenho O DEVER, A OBRIGAÇÃO E O DIREITO DE FAZER ELE O MELHOR POKÉMON DESTA FANFIC TAMBÉM, obrigado de nada. EHUHAEUEAHUEA ♥

      Siiim, o Sandstorm! Eu gosto de usar ataques assim, que eu possa pirar na criatividade e fazer com que golpes que não tenham tanto impacto assim nos gameplays dos jogos possam se destacar na história. E também fico contente de ver que dá certo!

      Agora é focar no encontro do trio. O que será que vai acontecer agora? Até eu quero saber.

      Espero que continue curtindo!

      See ya, maninho!

      Delete
  3. Esse capítulo é tão importante para mim que até ganhei uma versão impressa do próprio PresiDento para guardar de lembrança <3 kkk Que climão de final de temporada, batalhas alucinantes acontecendo, reencontros, evoluções e uma Vivian Chevalier mais perdida do que cego em tiroteio HAHA. É sempre um desafio trabalhar com muitos personagens que entram em cena e essa tarefa é ainda mais complicada quando existem Pokémon no meio, pois eles acabam precisando do mesmo cuidado. Pupitar e Rhydon, ótimas adições para esses times que se fortalecem cada vez mais! O Lago da Fúria é um baita cenário importante para os fãs de Johto e você não os desapontou, com direito a reunião de Elite, participações especiais de Alola, beijo repentino e Bruno e Forrest em uma cena maravilinda que mais se parecia a cavalgada do unicórnio serelepe cor de rosa se fosse em outras circunstâncias kkkkk Brincadeiras à parte, é essa junção de acontecimentos épicos que fazem Johto ser foda!

    Esse evento envolvendo as torres dos Rockets e o descontrole dos Pokémon ainda vai desencadear muita coisa. Amy teve umas baita cenas fodas nesse capítulo, e por mais que eu apoie Ethamine, Amy x Ethan também tem um espaço no coração kkkkkk Foi meio inesperado e sem jeito, MAS ROLOU! Aposto que a Vivian vai ter uma fofoca daquelas para contar quando voltar para Azalea kkkkk Mano, Forrest também merece todo o destaque, sei como a cena da conversa com o Rhydon significa um baita passo para o entrosamento do Pokémon x Treinador, agora os treinadores querem ver o quanto ele amadureceu não somente diante de uma batalha, mas como pessoa. Orgulho de ver esse personagem que se sentia um perdido lá no começo da fic tomar novas proporções, NADA EM JOHTO É FEITO EM VÃO! Com tanta coisa acontecendo, o trio principal mal teve tempo de sentar e conversar pra entender tudo pelo que passaram, sinto saudade daquelas conversas aleatórias, espero que eles se entendam, mas acho que no fundo já não vai ser mais a mesma coisa. TENSO.

    Obrigado pela participação especial com a Vivian mano, espero que ela ganhe uma motoca nova pra compensar todo o rolê com a bike HAHA Parabéns por mais um capítulo foda. Foco, força e fé nesse finalzinho de temporada. A essa altura já estou acostumado com você fazendo em dois capítulos rolar tanta coisa que a história tomará um rumo completamente inesperado! kkkk Grande abraço.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Canas! O legitimo co-autor desse capítulo, convenhamos. EHUAHEUEAHEAUHEA

      Siiim! Chegou aquela hora da temporada que a gente joga tudo pro ar e fala: Eu quero ver tudo pegar fogo! TRETAAAA!!! E aí a gente desenvolve. EHAUAEHUEAHEA Fico feliz que eu tenha conseguido equilibrar todos os personagens, e ainda por cima, ter conseguido fazer bom uso da Vivian, uma personagem que eu gosto TANTO! E se você aprovou, né, quem é que vai desaprovar? HEAUHEAUAEHUAHE

      Agora as coisas começam a encaminhar para um lado meio sem saída da história. As coisas estão ficando feias e nem um Deus Ex-Machina pode ser possível para livrar os personagens de seus destinos... Mas, pra agradar gregos e troianos, temos o beijo de Amy e Ethan, finalmente! Só que eu não sei se foi um beijo ou um assédio sexual, afinal, ela tava desacordada... Será que contou? HEAUHAEUEAHUEAH Mas eu shippo os dois, e como eu sou um cara maravilhoso, botei fanservice sim. Pode shippar a vontade, por enquanto. EAHUAHEUEAHEA

      Eu vivi pra ver você elogiar o Forrest. Significa que o trabalho está sendo feito da maneira correta, e eu só tenho a agradecer você por isso, que tanto me encheu a paciência pra eu tirar ele da história e agora está aí, aplaudindo-o. Então, obrigado, tá aí o resultado. EHAUEHUEAH ♥

      Mal vejo a hora de ver os três reunidos... Imagina só como vai ser. Espero que tudo se resolva, de verdade... Mas até lá, é esperar pelo melhor.

      Vivian terá a bike dela? Amy pedirá desculpas? Ethan ganhará a Liga Pokémon? Um dia eu te conto, até lá, VEM MENTE DE CRISTAL!

      See ya, maninho! Obrigado por tudo!

      Delete
  4. Tô na área, derrubou é pênalti!
    Eae, novo leitor chegando!
    Ethan e Forest se encontram e ambos estão sem camisa, que coisa.
    A equipe rocket dessa vez fez algo de alta escala, me lembrou do filme 1 de Pokémon, essa tempestade, os margikarps evoluindo ejinto com os outros gyarados aumentando ainda mais a tempestade. Trouxe uma sensação de perigo real, para mim pelo menos.
    E ninguém vai capturar esse gayrados vermelho?
    Espero ver mais dos outros membros da elite dos quatro e dessa Vivian, além de ver a revanche do Forest, se bem que acho que ele ainda vai perder.
    Bom, é esperar para ver!!!
    Espero ansioso o próximo capítulo dessa grande história!!!

    ReplyDelete
  5. *ejinto??? Nem me pergunte o que era para ser aquela palavra...

    ReplyDelete
  6. Yo, Alefu!

    Primeiramente, seja bem-vindo à histórica região de Johto. E já chegou com essa referência maravilhosa! HEAUHAEUEAHEA

    Todo mundo sem camisa, imagina se a moda pega? Todo mundo começa a tirar a roupa, aí imagina... EAHUEAHAUEHEAUEAH

    Sim! Vamos tratar os vilões como vilões! Os heróis que se virem pra combater, mas nada mais justo do que fazer os Rockets honrarem todo o legado malvadesco que eles têm nos jogos. E fico muito feliz por ter conseguido passar a emoção pra você, significa que estou no caminho certo!

    Sobre o Gyarados Vermelho... A história ainda não acabou. É que o capítulo ficaria enorme, mas acredito que alguém ainda irá capturá-lo, fique de olho!

    Não se preocupe com isso. Todos esses personagens darão as caras bem loguinho! Ah, e a revanche do Forrest será especial, espero fazer um excelente trabalho nela!

    Fico feliz com o seu feedback, e espero que você continue curtindo!

    See ya!

    PS: Acho que você quis dizer "junto". HEAUAHEUAEHAEUHE

    ReplyDelete
  7. Eu não posso deixar de comentar, pra começo de conversa, sobre a cena onde a Amy rouba a bicicleta da Vivian. Muitas referências!

    Cara, começamos agora a entrar nesse embate final contra a Team Rocket! Mal posso esperar pra ver o que você tem reservado pra esse final de temporada. O problema com o comportamento dos Pokémons selvagens parece ter sido resolvido, pelo menos por agora. Então eles podem focar em encontrar e detonar essa base secreta da Team Rocket, que eu sei onde fica mas eles não kkkkkkkkkkkk

    A Saga Alma de Prata ainda não acabou, mas já está deixando saudades. Aqui você evoluiu de uma forma que não dá pra descrever. Imagino como você estará ao fim da última saga. Porque daqui é direto pro final da história. Não importa o quanto demore, você vai chegar lá.

    Até!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Shadow!

      Eu não seria nem louco de incluir a Vivian em AeJ e não fazer altas referências - já que já estamos trabalhando com uma enorme.

      A Equipe Rocket finalmente está demonstrando seu tamanho e aparentemente todo mundo tá começando a se preocupar - exceto Vivian Chevalier que só queria fazer uma encomenda de Rage Candy Bar. Junto com isso, nosso final de temporada que promete! Até eu estou tendo um cuidado maior agora, mais do que nunca, porque é difícil colocar no papel todas as ideias desenvolvidas, pensadas e refletidas, de uma maneira que eu consiga passar 110% aos leitores as intenções pretendidas aos leitores. Mas, confesso que os Rockets poderiam usar umas placas pra poder facilitar encontrá-los na base secreta, né? HEAUHEAUHEAUAE

      Fico feliz que você tenha gostado, e principalmente, sempre me incentivado a correr atrás de melhorar o que eu podia. Alma de Prata deu trabalho, mas valeu a pena todo esforço e dificuldade pra chegar até o final. Afinal, ela conseguiu mostrar a que veio, e conseguiu sem esforço mostrar que os personagens são muito mais profundos do que eu mesmo poderia imaginar quando comecei.

      Espero continuar te surpreendendo!

      See ya!

      Delete
  8. O final da segunda temporada está a chegar e agora não é o momento para brincadeiras!

    Esse capítulo foi cheio de ação, mesmo! Reconheço a dificuldade de trabalhar com todos personagens e acontecimentos diferentes mas o Dento fez isso com a maior maestria possível! Parabéns!

    E que susto eu apanhei quando a Amy caiu no lago! Felizmente Ethan e Dewgong deram uma ajuda e os fãs do ship tiveram o seu momento auge neste capítulo. Agora quero ver Amy acabar com esses bandidos de uma vez por todas e ganhar o mérito e o respeito que merece!

    Outra personagem que me surpreendeu este capítulo foi Forrest. Ele parece estar mais proativo, mas pronto para atacar. Ficar simplesmente lá atrás a assistir não é mais o seu género. E isso é tão bonito de se ver! Algo que me chamou muito à atenção foi a sua comunicação com o seu novo pokémon rec~em evoluído. Que vem daí?

    E sem dúvida, Pupitar e Rhydon foram otimos acréscimos às equipas dos nossos protagonistas! Outra coisa que me surpreendeu foi a aparição desse Alola Sandslash! Quem diria?

    Agora resta juntar forças para descobrir e combater a Team Rocket! VEM DRAMA!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Angie!

      Todo fim de temporada a gente sempre guarda uns truques na manga, né? Precisamos surpreender! kkkk É o momento em que pegamos todos os personagens e começamos a amarrar as pontas que começamos a soltar alguns muitos capítulos atrás. E também, claro, abrir outras pra deixar sempre aquela curiosidade falar mais alto. Fiquei realmente surpreso de ter conseguido trabalhar com tantos personagens assim sem ficar confuso pra quem tá lendo, é como você falou, muito complexo.

      SIM, A AMY QUASE MORREU! Depois ela viveu e tudo certo. HEAUHEAUAHEUEAH Mas, falando sério, tava precisando de ela passar por mais um grande aperto, né? Ela ainda finge que é forte. kkkk Ainda bem que tem um suporte bom de Pokémon e amigos, né? kkkk

      Forrest cresceu muito depois de tomar umas porradas pra tomar vergonha na cara, né? Que bom que não está soando esquisito kkkk. O medo de fazer um personagem mudar tanto assim é justamente a sua essência ir junto, aí ele pode perder o afeto do público, e aí não é legal. Muitas surpresas com ele ainda tão vindo por aí...

      Pokémon evoluindo, Alolan Sandslash com o pau comendo solto... Acho que Alma de Prata vai se despedir pra deixar saudade! kkkk

      Espero que continue curtindo as emoções finais!

      See ya!

      Delete
  9. Chegando ao final da temporada as coisas começam a acontecer de verdade. Esse capítulo foi repleto de ação e com a participação de vários personagens, alguns deles novos para nós. Estou surpresa porque a última pessoa que esperava ver a essa altura é a Vivian, tendo ela aparecido pra mim da últimas vez lá em Floaroma, em AeS.
    Mds, coitada da Amy, levou um golpe e foi beijada sem saber. Ela teria dado um socão na cara do Ethan se tivesse pegado ele fazendo isso huehuehue.
    Quando eu vi a evolução do Rhydon e do Pupitar a única coisa que consegui imaginar foi que isso poderia causar algum prejuizo a eles, ainda bem que não foi o que ocorreu e eles continuaram bem e obedecendo aos seus treinadores. Por sinal, foi muito legal a evolução do Forrest e sua conexão com seu novo poke.
    Comentário rápido mesmo, só pra dizer q li e logo lerei os próximos!

    ReplyDelete

- Copyright © 2015 - 2019 Aventuras em Johto - Dento (Willian Teodoro) - Powered by Blogger - Designed by CanasOminous -