Posted by : Dento Dec 17, 2015




Passando pelos corredores do laboratório do Professor Elm, Ethan se aproximava cada vez mais do rastro ruivo que acabara de roubar uma PokéBola que estava a sua frente, derrubando os cientistas, vendo o caminho livre para fugir. Ethan se atrapalhou, tropeçando em um dos cientistas. Elm e Lyra ficaram assustados com a correria do ladrão, mas Ethan se levantou e saiu pela porta do laboratório perseguindo seu alvo.

Fugir não adiantava de nada. O ruivo não era um fujão. Ele enfrentaria quem quer que fosse que quisesse atrapalhar seu objetivo. Ele parou e viu Ethan parar também. Era hora de ver se o Pokémon que ele tinha roubado era forte.

— Ei, você. Vou te ensinar a não me atrapalhar. Sofra as consequências! — Falou.
— Vamos ver quem vai sofrer! — Respondeu Ethan.

O garoto lançou sua PokéBola e de lá saiu o Totodile. Ethan também sacou sua PokéBola com receio. Ele nunca tinha estado em uma batalha Pokémon antes e só tinha visto pela Televisão. Mas não podia deixar aquele que o desafiava sair impune. Ele tinha ameaçado a todos no laboratório. Principalmente os Pokémon.

— Vamos lá, Cyndaquil. — Disse baixinho para o Pokémon.
— Estou com vantagem e irei te aniquilar. Totodile, Water Gun!
 Cyndaquil, Tackle!

Da boca de Totodile um jato de água saiu anulando o ataque de Cyndaquil e fazendo-o ficar tonto. Um ataque super efetivo.

— Cyndaquil! — Exclamou Ethan.
— Totodile, Water Gun mais uma vez!
— Força, Cyndaquil! Esquive do ataque!

Totodile mirou e atacou. Cyndaquil conseguiu desviar do ataque.

— Ethan! — Exclamou Lyra agora do lado de fora do laboratório.
— Ora, ora, ora... Dois contra um é meio injusto, não acham? — Disse o garoto ruivo em tom sarcástico.
— Injusto é você roubar Pokémon! — Retrucou Ethan.
— Ethan! A Policia já foi avisada. — Disse Lyra.
— “Policia”? Bem... Sinceramente eu não gosto nem um pouco dessa palavra... Bem, meus caros... A conversa foi boa, mas tenho que partir. Se o destino assim quiser, nos encontraremos novamente. Adeus. — Disse o ruivo recolhendo Totodile para a PokéBola e saindo correndo.
— Ah, não vai fugir não! — Disse Ethan recolhendo Cyndaquil e correndo atrás do ladrão.
— Ethan! — Berrou Lyra.

O ruivo e o seu perseguidor já estavam nos limites da Cidade de New Bark, de onde já era possível ver a Rota 29, que dava em Cherrygrove.

— Volta aqui, seu maldito! — Ethan berrava sem fôlego para o ruivo que parecia não cansar de tanto correr.

O garoto ruivo olhava para trás para tirar onda com Ethan. Porém, em uma dessas olhadas, ele acabou se distraindo e tropeçando em uma raiz de uma das grandes árvores da Rota 29. Ele tropeçou e caiu de braços abertos. Ethan se aproximou com pressa.

— Te peguei, idiota! — Berrou Ethan correndo em direção ao corpo estirado do ruivo.

O garoto não perdeu tempo e em um movimento de defesa, deu um chute com as duas pernas para cima e atingiu com força o rosto de Ethan, derrubando-o no chão com a força do impacto.

O garoto ruivo saiu correndo enquanto Ethan ficou alguns segundos agonizando no chão com sangue escorrendo da boca.

Ethan se colocou de pé, mas algo chamou sua atenção.

Na sua frente, havia um pequeno cartão sujo de lama, quase ininteligível, com a foto do garoto que roubara o Totodile.




— “Silver”...? — Leu Ethan.
— Isso é meu, pateta! — Sussurrou grave em um tom vingativo o garoto ruivo.
— Você se chama “Silver”? — Questionou Ethan.
— Talvez. Não que importe pra você, né? — Disse Silver jogando uma pedra certeira no estômago de Ethan, fazendo o ar do garoto acabar subitamente e fazendo-o desmaiar no meio da rota.

Silver pegou de volta seu Trainer Card e aliviou-se ao saber que a mais preciosa informação contida nele não fora lida.

Ao ouvir passos apressados dos investigadores da Polícia vindo na direção de onde ele estava, Silver saiu correndo, desaparecendo por entre as árvores, deixando Ethan desmaiado.

***

Algumas horas depois, já em New Bark Town, Ethan acordava em sua casa. Sentindo fortes dores corporais, levou alguns minutos para ele lembrar o que havia acontecido e o motivo dele estar ali.

— Silver! — Exclamou Ethan pulando da cama.

Ao abrir a porta do quarto, deu de cara com sua mãe o olhando com olhar feio.

— Onde você pensa que vai, mocinho?
— Agora não, mãe! Preciso ir falar com o Professor Elm!
— Não senhor! Você vai agora voltar pra cama. Precisa descansar!
— Depois. Agora eu tenho que ir.

Em um vacilo de sua mãe, Ethan conseguiu passar por debaixo de um dos braços e saiu correndo as escadas, rumo à porta.

Enquanto ignorava os gritos e berros de sua mãe, o garoto prosseguia rumo ao laboratório, onde já se via viaturas da Polícia local na porta.

— Professor Elm! — Exclamou ao entrar correndo.
— Ethan? — Exclamou Lyra surpresa.
— Parado aí, rapaz! — Disse um dos policiais.
— O que você está fazendo aqui, Ethan? — Questionou Elm.
— Eu descobri a identidade do ladrão!

Houve um silêncio repentino. Um dos investigadores se aproximou de Ethan e o conduziu para uma cadeira mais próxima.

Depois que acalmou-se da euforia, Ethan começou a descrever Silver e comentou que ele era Executivo de uma organização “Rock”.

— “Equipe Rock”? Será que temos uma organização agindo secretamente em Johto? — Perguntou uma das agentes da polícia.
— Precisamos investigar isso...
— Professor Elm, obrigado pelas informações. Eu e minha equipe iremos investigar a fundo tudo o que o senhor nos forneceu. E também, sobre este “Silver” e essa tal “Equipe Rock”. — Disse o detetive se despedindo e saindo com seu pessoal do laboratório.
— Eu irei atrás de Silver. — Disse Ethan.
— Não. Você tem que descansar, Ethan! — Disse Lyra.
— Não enche, garota. Agora que eu tenho mais um motivo pra sair em uma jornada Pokémon!
— Uma jornada Pokémon? Endoidou de vez? Eu não pari filho pra sair de casa aos 13 anos pra morrer não! — A voz feminina da mãe de Ethan ecoou pelo corredor do laboratório de Elm assustando até mesmo o cientista e Lyra.
— Mamãe!
— Já pra casa!
— Pra casa eu até vou... Mas depois que eu me recuperar, eu vou partir em uma jornada Pokémon!
— Mas o quê? Está me desafiando? — Disse a mãe de Ethan pegando um dos chinelos que usava.
— Não, mamãe. Mas o Professor Elm solicitou que eu fosse atrás do ladrão e...
— VOCÊ QUER MATAR O MEU BEBÊ?! — Berrou a mãe de Ethan para Elm que ficou branco feito mármore.

Ela jogou o chinelo que estava nas mãos em Elm que, em reflexo, se abaixou a tempo.

O chinelo fez um vento forte no laboratório e acabou quebrando a janela, não só seus vidros, mas toda a armação que a construía.

—... Sinistro, mamãe... — Ethan disse impressionado.
— Não é a toa que fui campeã regional de Tiro de Bumerangue do Parque Nacional. — Gabou-se Marieta.
— O Professor Elm pediu para eu ir atrás dos Pokémon para auxiliá-lo em sua pesquisa Pokémon. — Disse Ethan.
— Já falei que n...
— Olha, mãe... — Disse Ethan cortando. — Eu mando noticias, O.K? Ainda prometo não viajar sozinho.
— Bem... Sendo assim... — Disse a mãe de Ethan com uma expressão pensativa.
— A senhora deixa?! — Exclamou Ethan com um sorriso.
— Não. Já pra casa. — Disse a mãe pegando Ethan pela orelha e levando-o até a porta do laboratório.
— Ah, professor... Desculpe pelo prejuízo... — Disse apontando para a janela.
— Não, sem problema, dona Marieta... — Disse Elm sem graça.

***

Amy, a garota fugitiva da Equipe Rocket, chegava na pacata Cidade de Pallet. Em uma tentativa de chamar menos atenção dos cidadãos de Kanto e menos ainda de possíveis capangas da Equipe Rocket que estivessem seguindo-a, conseguiu comprar algumas roupas em uma loja de departamentos de Celadon. No lugar do seu vestido negro, que usava como uniforme na Equipe Rocket, ela usava um simpático chapéu que ajudava a ocultar seu rosto um pouco, uma simples camiseta azul e uma saia vermelha — Não gostava de usar shorts. Para ela, dificultava correr do que se tivesse as pernas “livres” em um vestido, por isso optara por uma saia —. Com o que sobrou do dinheiro, conseguiu comprar uma bolsa lateral amarela, onde colocara itens e colocara seus Pokémon em locais estratégicos para retirá-los para a batalha rapidamente caso precisasse.


Seu objetivo em Pallet era encontrar o laboratório do mundialmente conhecido professor Samuel Carvalho. Já estava quase anoitecendo quando a garota avistava as luzes do local.

***

No recanto de seu laboratório, Carvalho estava concluindo uma pesquisa sobre “Clonagem Pokémon”, um assunto já arduamente discutido no passado.

— Muito trabalho, professor? — Perguntou seu assistente Paul, um jovem cientista magrelo, míope, levemente descabelado que era fissurado pelos Pokémon.
— Sim, Paul... Mas creio que já esteja concluindo.
— Precisa de ajuda?
— Não, estou bem. Depois de tanto tempo estudando sobre isso, creio que estar acabando é uma grande satisfação para mim. — Disse com um sorriso jovial.
— Caso precise de mim, estarei lá em cima. — Falou o garoto se retirando da sala.

A campainha tocou. Carvalho pareceu surpreso. Não esperava visitas a essa hora da noite.

Não se deu o trabalho de ir atender. Paul fizera isso, como já era comum.

Alguns segundos depois, o assistente retornava à sala de Carvalho.

— Professor, é para o senhor. — Disse o assistente.

Carvalho levantou-se de seu computador e dirigiu-se até onde estava o assistente. De trás dele estava Amy, que parecia admirada com o aparato tecnológico que o laboratório tinha.

— Olá, garotinha. Em que posso ser útil? — Perguntou o professor com um sorriso simpático.
— Boa noite, professor. Desculpe-me chegar a esta hora... Mas eu estou realmente precisando do senhor. Meu nome é Amy e eu acabei de chegar de longe... E preciso de um lugar para deixar meus Pokémon em segurança. — Disse Amy.
— Ora... Então você está em uma jornada Pokémon?
— Na verdade, não... Eu tenho alguns Pokémon comigo... Porém, eu não tenho uma licença de treinador...
— Sem problema... Você veio ao lugar certo, mocinha. Paul, me ajude a procurar uma PokéAgenda? — Questionou Carvalho ao seu assistente.
— Claro, professor. — Respondeu Paul prontamente.
— Você poderia esperar aí? — Perguntou Carvalho.
— Sim, professor, eu espero.

Paul e o professor saíram da sala. Amy ficara sozinha. Quando teve certeza que não estava sendo vigiada, foi direto para o computador do professor.

Inserindo um pen-drive que retirara da bolsa, começou a copiar os arquivos da pesquisa do computador.

“CLONAGEM POKÉMON — uma pesquisa de Samuel Carvalho.

Tendo em mente que a pesquisa científica sobre o nascimento dos Pokémon e de onde eles vêm ou surgiram anda bastante avançada, creio que minha teoria de clonagem Pokémon está mais do que pronta para ser apresentada.

Sim, é possível clonar um Pokémon. Talvez até mesmo recriar Pokémon antigos, fossilizados. Ou até mesmo, quem sabe, os Pokémon lendários. Para isso, é necessário alguma existência de DNA do Pokémon e então fazer os processos necessários. Ainda não descobri o método, mas acho que estou chegando perto.”

— O que está fazendo aí, garotinha? — Soou a voz de Carvalho.

Amy assustou-se, mas conseguiu disfarçar.

— Professor Carvalho! Desculpe... Eu estava tentando procurar o mapa da Região de Johto... Como eu vim de longe, eu não sei chegar lá. Desculpe, deveria ter pedido autorização...

Amy mostrou a tela do computador. Havia digitado “Mapa da Região de Johto” na barra de pesquisa da página principal do navegador.

— Ah, sem problemas. Geralmente é realmente bom pesquisar para não se perder. Mas devia ter falado comigo. Como esse é meu computador, há coisas particulares.
— Desculpe, Professor. E garanto que não vi nada ou pesquisei nada, a não ser isso.
— Tudo bem. Aqui está a sua PokéAgenda. Você disse que vai para a Região de Johto... Para a sua sorte, estou indo para lá. Quer uma carona? — Questionou o professor.
— Sim! Mas... E quanto aos meus Pokémon? — Perguntou a garota.
— Sim, sim... É verdade! Paul, por favor, você poderia resolver isso?
— Claro, professor! Amy, por favor, poderia vir comigo? — Convidou o assistente.
— Claro. Deixa só eu fechar isso aqui... — Disse se virando para o computador.
— Não precisa. Eu fecho. — Disse Carvalho se dirigindo até a garota.

Amy rapidamente puxou o pen-drive do computador e o protegeu com força nas mãos.

— Se é assim que o senhor quer... — Disse Amy dando passagem para o professor.
— Venha, Amy. Vou mostrar como funciona o depósito de Pokémon. — Disse Paul levando Amy consigo para fora da sala.

Carvalho analisava sua pesquisa. Nada havia sido alterado ou mexido.

— Será que essa garota realmente mexeu aqui? Deve ter sido apenas impressão minha... — Concluiu ele voltando a digitar sua pesquisa.





TO BE CONTINUED...


  

{ 16 comentários... read them below or Comment }

  1. Dois capítulos em um dia. LEVE 2 PAGUE 1,IRMÃO <3

    Teve treta de Pokémon? Teve.
    Teve murro? Teve.
    Teve sangue? Teve <3
    AGORA, PALMAS PARA A SECUNDÁRIA MAIS FODA DO MUNDO : MARIETA!
    Ela é inspiração. Mas vem cá, o chinelo dela é de titanium kk Juro que essa cena pareceu de anime *0* Adoro kk
    AMY, SUA FOFA. Gosta de saias pela liberdade das pernas, os garotos agradecem essa escolha também * aquela carinha *
    CLONAGEM POKÉMON. Saudades aulas de Biologia. <3 Amy ninjando no PC do Carvalho. DIVA.
    Como assim? Pidgeot vai ficar pra trás. Chorei :'(
    BOA DENTO, TO ANSIOSA PRA CONTINUAÇÃO.
    Abraços *-*

    ReplyDelete
    Replies
    1. Teve muita coisa loka, né? EUAHEAUAHEAUE
      É só o começo. Nesses dez primeiros capítulos vai ter muita treta ainda. Outros personagens aparecerão para tirar todo mundo do sério.

      A Marieta é aquele tipo de mãe de anime mesmo: Desesperada e preocupada, além de super protetora. Eu não garanto que ela aparecerá muito no decorrer da história, mas a presença dela tá coroada já. kkkk

      Amy: De novo como ninja aqui. O que será que ela anda aprontando e por que será que descolou a pesquisa do Carvalho sobre clonagem? Hmmmmm...

      Pidgeot volta em um futuro não tão distante. =D

      Fico muito feliz que tenha curtido. Até a próxima semana! =D

      Delete
  2. Diga ae, Dento! Mais uma vez, é incrível como a Amy rouba a cena toda vez que ela aparece kkkk É nítido como ela de alguma maneira mexe com você como autor, eu não diria num quesito preferência, mas no sentido de que você sabe o que fazer com ela e consegue manipulá-la de um jeito que em dois capítulos você tem toda uma personalidade formulada. Costumo dizer que os personagens falam com os autores, e sinto que você é capaz de ouvir a voz dela com perfeição.

    Um quesito interessante que falamos no skype aquele dia é a forma como colocamos traços da nossa vida em nossas histórias. Eu me diverti muito com a Marieta, e não sei se ela tem qualquer aproximação com sua própria mãe, mas eu fazia muito disso na época de Sinnoh. Ela é histérica, mas de um jeito que lembra o Ethan por não querer que seu filho saia numa aventura sem sentido (e que convenhamos, caçar Pokémons por aí e caçar um ladrão deixaria qualquer mãe louca kkkk) Imagina só se o Ethan deixa de atender a uma única ligação dela no PokéGear? A situação ia ficar crítica kkkkk

    Outro detalhe que gostei muito foi a citação da Clonagem Pokémon. Você havia mencionado que gostaria de trabalhar com isso em Johto justamente para dar continuidade a uma das ideias mais loucas que usamos na Aliança, e me surpreendi em vê-la sendo colocado em prática tão rápido. Espero encontrar a origem de tudo isso em Johto, e quem sabe até outras pequenas referências ao que vemos lá para frente com Archer, Proton, Ariana e companhia. A Amy é malandra, de um nível que você sabe que ela vai sacanear muita gente pra conseguir o que quer, e mesmo com esse estilo anti-herói muita gente vai se apaixonar por ela. Continue o ótimo trabalho, parceiro! :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. E aí, Canas! Passa dia, passa noite e a Amy continua causando tumulto. Eu acho ela genial, modéstia a parte e não diminuindo a importância dos outros personagens, porque ela sempre sabe o que faz e como fazer. O que eu acho mais prazeroso é que os próprios personagens me orientam como devem ser feitas certas cenas (é como se conversassem comigo) e então fica muito mais fácil e simples trabalhar com eles. Não fica forçado incluí-los em certas cenas. Tem vezes que eles simplesmente surgem e eu não consigo explicar o motivo. É muito especial isso...

      Todos os personagens têm, de uma forma ou de outra, um pouco de mim, seja quesitos particulares (como comportamento ou aparência) ou coisas que eu já vivi (referência à pessoas que conheci, por exemplo). O assistente de Carvalho, por exemplo, é baseado em um ídolo: Paul McCartney. Exceto pela miopia, é o próprio Beatle descrito na cena. Acho que isso acaba, de uma forma ou de outra, deixando uma ficção mais verdadeira, mesmo que isso acabe soando de maneira esquisita. A minha mãe não é como a Marieta (mesmo tendo comportamentos parecidos), mas é daquelas mães desesperadas e super protetoras. O Ethan, involuntariamente, acabou desenvolvendo um pouco do comportamento dela, como a teimosia, por exemplo. Talvez todas as mães tenham um pouco de Marieta e nós, como filhos, temos um pouco de Ethan. =]

      A Clonagem é algo que é de extrema importância pro enredo, como você bem lembrou. Talvez não como utilizada nas ideias antigas, mas é como a semente da discórdia plantada no começo e que vai desabrochar lá na frente. É algo que eu passei dias e noites pensando em como usar de uma forma convincente e tentei amarrar as pontas soltas. Espero que o pessoal curta o resultado. Hehehe.

      Ainda que esteja no começo, todos os personagens acabam se envolvendo em um único objetivo, um único sentido, uma coisa só. Ideologias se fundem e todos acabam se envolvendo para cumprir seus objetivos. Predestinação, talvez?

      Obrigado pelas palavras. Espero que continue acompanhando e se surpreendendo. =D

      Delete
  3. ~Marieta, marieta... superbonietasuperbonieta~

    Ok, chega.

    EEEEEEEEEEEEEEEE
    OLARRRRRRRRRRRRRRR
    HOW ARE YOU???!!
    I'M FINE!!!!11
    OK, LET'S START!1

    Capítulo divino. Silver gay viado do caramba EU QUERO SHIPPS COM O GOLD!!11!!

    Ok, paray.

    Beeeeeeem
    que capítulo foi esse??????!!!

    Maraveloso. Quero mais...

    ..
    ...
    ...
    ..........
    PRA JÁ!!!

    oK, cHEGA dE mALUQUICE pOR hOJE

    Viu????????????????????

    To tão emocionado que nem consigo digitaR!!!
    Quero mais!!!


    BUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA...............
    ......................
    ...................................
    JAA NA!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olaaaaaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrr

      SHIPPS TÃO LIBERADOS, VAMO CAUSAR. EAUHEAUEAHUEAHEAUH

      Aguenta coração! Não morra não, cara! D=

      Você quer mais? Seu pedido é uma ordem!!

      Que bom que curtiu! Acho que você até agora é o único que não falou da Amy, só do Silver. Espero que você ainda fale dos dois. Hahahahaha

      See ya!

      Delete
  4. Rapaz, essa rixa entre o Ethan e o Silver começou da melhor forma possível! Pelo menos para quem gosta de uma treta, como eu. Digamos que para o Ethan já não começou tão bem... O Silver pelo menos conseguiu se safar da polícia, e acredito que esteja agora tomando seu caminho para estabelecer seus novos planos para a "Equipe Rock"! Ainda me pergunto como um bicho que nem saiu das fraldas já é executivo de uma organização criminal... Deve ser o bichão!

    A Amy não contente em sacanear com a Equipe Rocket, ainda tem que meter o bedelho nas pesquisas do Carvalho! Meu Arceus, essa menina não tem limites! CONTINUE ASSIM, SUA LINDA! QUEBRA TUDO! Eu não sei que tipo de coisa ela faria com uma pesquisa sobre clonagem Pokémon, a não ser que ela esteja pensando em vender as informações para alguém que queira ganhar notoriedade no meio científico. Até porque eu não acho que ela entregaria tudo isso na mão dos Rockets depois de ter chutado a bunda deles daquela maneira. De qualquer forma eu vou ter que continuar lendo pra saber.

    Por fim, só espero que o Ethan consiga partir em jornada sem que tenha que levar consigo sequelas do chinelo da Marieta. Cara, até que isso me lembra a minha infância...

    Nos vemos Dento! õ/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Shadow!

      Essa treta do Silver e do Ethan mostrou quem é que manda. No caso, o Silver. kkk. O Ethan só apanhou nesses dois capítulos, né? Acho que ele é um imã de arranjar tretas. kkkkk

      A Amy continua causando. Dessa vez, roubou esses arquivos do Professor Carvalho. Ela devia ser chamada para trabalhar na CIA. O que acha? XD

      A Marieta é uma pessoa que costuma causar muito. Talvez o Ethan tenha puxado a ela... Mas ela é mãe. E sim, eu sempre acho que todas as mães são iguais. Vamos ver se ela vai empacar muito. Hahaha

      See ya, Shadow! Espero ver você sempre por aqui! =]

      Delete
  5. Então quando ela trocou de roupa ela virou a leaf? kkkk boa sacada fazer ela se disfarçar dessa maneira, e caramba sangue? então temos uma violencia mais chegada a do manga por exemplo?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Wigglytuff!

      Então, cara, a Amy é a personificação tanto da Blue, quanto da Leaf. Elas são minhas personagens favoritas. kkkk

      Sim, teremos. Eu tento segurar a barra quanto a essa coisa de violência, porque quero fazer com que o máximo de pessoas se sintam a vontade lendo minha história, mas eu quero fazer algo mais sério com a história. Espero que curta!

      See ya!

      Delete
  6. acabei emendando pq né, já que os dois caps foram postados simultaneamente, why not? (e pq quero ler as n/a, confesso (adoro ler notas de autor, já comentei isso?))
    enfim
    noss véi já começamos com o coitado do cyndaquil levando um super effective na cara, não pago minha internet pra isso /qq
    LÁ VEM O LADRÃOZINHO FALAR DE JUSTIÇA, TÁ CERTO SIM AMIGUINHO, MUITA MORAL
    KKKKKKKK ELE CAINDO NO CHÃO PQ TAVA BANCANDO O SUPERIOR, RI DEMAIS
    também esperei mais pq tava contando com machucados mais graves mas enfim né, vida que segue, tem outras surra que ele pode levar
    EITCHA, ELE ERA DE CARGO ALTO NA ROCKET?? oloco, tá tendo muita evasão nesse lugar, eles tem que rever suas cargas operárias /qqq
    PATETA KKKKKKK QUEM AINDA USA PATETA MANO muito psicopata mesmo ein :v
    (btw, curti a maneira como fez o ethan saber o nome dele, pq de fato ele não contaria como no jogo)
    equipe rock ASHDAUDHASUDHASUDHASUD é uma banda nova :v /apanha
    SOCORR A MÃE DO ETHAN ASDHADUASHDUSAHDASUDHASD btw isso que é novidade, uma mãe no mundo pokemon (que tem juízo) que não quer que o filho saia em jornada asdhasudhsaudhasd
    CARALEO, A JANELA QUEBRANDO TODA ASDHAUDHASUDHASUDAHSUDA SE PEGASSE NO ELM MATAVA O COITADO ASHDSAUDHASUDHASUD
    "bem, sendo assim..." "você deixa?" "não" ASHDUAHDUASDHASUDHASUDHASUDH
    só to vendo ethan escapando por uma corda de lençóis no meio da madrugada :v
    oloco, eu odeio saia justamente por não me dar liberdade, e a amy achando o contrário .-.
    vish, acho bom prof carvalho correr, amy querendo visitá-lo não deve ser boa coisa
    clonagem?? eitchaaaaa
    vish, já deu tempo de ela pegar tudo. vai dar ruim, meus amigos, vai dar ruim
    e ela escapando com maior ar inocente asdhsaudhasudhsaudhasud adorooo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Tsuki!

      Aqui já começa na pressão. Cynda apanhando, meu coração é fraco demais pra ver ele sofrer. </3

      MORAL? PFVR HEUEAHUEAHEAUEH

      Ethan não tem sorte MESMO, affu. XD

      Equipe Rock, tenho toda a discografia de um single. -q

      Marieta, melhor mãe. JÁ CHEGA CAUSANDO. AHUAHAEUHEAUAEHEAUEAH XD

      "FOI QUEBRANDO JANELA QUE EU CRIEI MEUS FILHO"!!!


      Parece que a Amy não representa tanto assim as minas, não é mesmo? :v

      Ainda por cima, sendo hacker e logo pegando arquivos do Carvalho, tsc tsc.

      Espero te ver mais vezes por aqui!

      See ya!! ♥

      Delete
  7. Oláááá. Comentando no capítulo 2 por livre e espontânea pressão HUAHUAHUA
    Bem, vamos láa. O Ethan já chegou fazendo cagada mandando o Cyndaquil usar uma investida contra um water gum. Que parte de pokémon do tipo fogo será que ele não ouviu? Caralho o Silver é muito ninja, além de roubar o laboratório ainda dá uma voadora de dois pé na cara do Ethan e foge como se nada tivesse acontecido. Fora o fato dele já ser executivo da Equipe Rocket. Esses policiais são mtoooo tapados, mds. Equipe Rock?
    Achei que a mãe do Ethan não era mãe dele pela falta do antiga arte ninja elementar chamada "Arremesso de chinelo", mas logo ela demonstrou a que veio e quebrou a janela do laboratório. Que mulher, Brazzilll.
    Não sei quem a Lyra acha q é querendo mandar no Ethan, eu responderia tbm. Oooxi, intrometida.
    E a Amy/May no final arrasando como sempre. Não basta trollar a equipe Rocket, trolla o prof. Carvalho tbm e sai bem Madame Desentendida. Adoro! Será que ela quer a receita dos clones pra fazer uns pra vender e ficar rica e milionária em Paris?
    Ficou muito bom, Dento. Bem divertido e dinâmico, você conseguiu mais uma vez demonstrar bem a personalidade dos personagens e eu acho isso muito bom!
    Abraços!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Carol!

      LIVRE E ESPONTÂNEA PRESSÃO NADA NÃO! Você tá aqui porque gosta que eu sei. HEAUAHEUAHUAE

      O Ethan é inexperiente, poxa. Dá uma chance pro garoto. EHAUAHEUAHAE Pensa que logo contra quem ele foi lutar? Silver, que você mesmo disse que era um ninja.

      Não mexe com a Marieta, ela é perigosa! HAHAHA Ela e um chinelo na mão destrói o que tiver pela frente. Toma cuidado, hein?

      Lyra e Ethan se amam, mas eles não sabem disso ainda.

      Amy é a melhor personagem. Cuidado, ela pode estar nesse momento atrás de você, te observando. HAUHAEUHAEUHEA

      Fico feliz que você tenha gostado, e mais ainda que tá lendo porque essa é a melhor história de todos os tempos, não tem nada disso de pressão!

      See ya!

      Delete
  8. Que medo da Marieta.
    Melhor mãe kkkkk

    Amy e suas tramanhas, curioso para ver o que ela vai fazer com tudo isso o/

    Até o próximo.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Anangeon!

      Marieta é aquela mãe super-protetora, né? Acho que todos nós, hora ou outra, acabamos por ter de lidar com uma Marieta! Hahaha

      Amy tá sempre aprontando... Isso vai mover a história e vai ser difícil acompanhar seus próximos movimentos... Fique esperto!

      Espero que continue se divertindo!


      See ya!

      Delete

- Copyright © 2015 - 2019 Aventuras em Johto - Dento (Willian Teodoro) - Powered by Blogger - Designed by CanasOminous -