Posted by : Dento Aug 18, 2016



As ondas do mar desembocavam lentamente na praia. No entanto, as coisas pareciam levemente fora do comum na Cidade de Olivine.

No topo do Farol Cintilante, um Pokémon ardia em febre. Ele era amarelo, bípede com uma barriga branca. Seus ouvidos eram em formato conífero com listras pretas e uma esfera vermelha em sua testa. Seu longo pescoço tinha vários anéis pretos em torno dele, perto da base. Ele tinha uma cauda longa, preto-listrada com uma esfera vermelha na ponta, que emanava uma fraca luz. Ao seu lado, uma jovem moça que usava um modesto vestido azul-bebê com comprimento até o joelho e um babado branco no final. Um laço vermelho em seu vestido se destacava. Por cima, um casaco branco. Seus cabelos castanhos estavam soltos, exceto por duas mechas amarradas em maria-chiquinha, uma em cada lado de sua cabeça. Ela tentava dar remédios para o Pokémon, que rejeitava.




— Vamos lá, Amphy... Você não vai poder ficar bom se não tomar seus remédios... — Insistia Jasmine, sem sucesso.

Ampharos continuava respirando de forma fraca e inconstante. Deitado no chão, ele sabia que, uma hora ou outra, ele teria que partir em uma viagem, sozinho, sem a companhia de sua eterna companheira.

Lá embaixo, na costa, Ethan, Amy e Forrest davam seus primeiros passos dentro do território da Cidade.

— Eu mal posso esperar pra gente se hospedar logo no Centro Pokémon e eu poder colocar meu biquíni novo pra gente ir pra praia! — Exclamou Amy, eufórica.
— Depois de tanto tempo de viagem, acho que umas férias vão animar a gente. — Disse Forrest com um sorriso.
— Depois de tudo o que passamos ultimamente, acho que nós e os Pokémon merecemos um descanso... — Suspirou Ethan.

O trio aproximou-se do Centro Pokémon. Após reservarem um quarto e guardarem suas coisas, incluindo Ethan deixando o recém-capturado Nidoran♂ no laboratório do Professor Elm, eles desceram para a praia.

— Faz muito tempo que eu não vejo o mar... — Suspirou Forrest.
— Ué? Kanto não tem praia? — Perguntou Ethan, curioso.
— Não... Havia a praia de Vermilion, mas o governo construiu o porto no lugar... — Disse o moreno.
— É verdade... Eu lembro disso. E em Fuschia, a praia ficou poluída... — Comentou Amy.
— Problemas de cidade grande... Aqui em Johto a natureza predomina bastante. — Sorriu Ethan.
— Isso não é um problema? — Questionou Forrest.
— Acho que não... Johto é bem próspera com a agricultura. E Kanto é com as fábricas. — Respondeu Ethan.
— Mas é bom esse solzão em cima da gente. Ah, o cheiro do mar... — Amy abriu os braços.
— Acho que os Pokémon merecem curtir também... — Disse Ethan liberando todos os Pokémon de sua equipe.

Amy e Forrest sorriram e imitaram o amigo.

Quilava, Sandshrew, Larvitar, Onix, Sudowoodo, Graveler, Shuckle e Rhyhorn mantiveram-se bem longe do mar, brincando na areia. Wooper, Gastly, Dewgong e Flaaffy brincavam entre si na água salgada.

Flaaffy parou por um instante e encarou o farol da cidade. Ela começou a sentir um aperto no coração.

Amy estava deitada numa cadeira de praia, embaixo de um guarda-sol.  Ethan passava filtro solar nas costas de Forrest, que pouco tempo depois fazia o mesmo no amigo. A praia estava tranquila. As pessoas brincavam na areia e no mar.

A tarde passou de forma tranquila na Cidade de Olivine. O grupo só retornou para o Centro Pokémon quando a lua já tomava seu lugar no céu.

Em seu quarto, o grupo começou a ouvir as gotas da chuva lá fora. Raios e trovões chegavam cada vez mais fortes, mas os garotos não pareciam estar preocupados. Eles tinham comida quentinha no refeitório e lençóis cheirosos no dormitório. Estava tudo bem, não era necessário sentir preocupação.

Após um bom banho, Amy vestiu sua camisola e dirigiu-se até a varanda do Centro Pokémon. A chuva de verão já havia cessado, mas a cidade ainda estava encharcada. Olhando para o horizonte, a garota percebeu que havia uma fraca luz que girava devagar. O Farol Cintilante não estava mais nos seus melhores dias.




Ethan e Forrest apareceram e juntaram-se à Amy na admiração da paisagem. A mesma luz fraca chamou a atenção dos garotos, que resolveram perguntar sobre o farol quando amanhecesse. Decidiram então irem se deitar, afinal, na manhã seguinte, Ethan iria desafiar o Ginásio local, e para isso, precisava estar totalmente descansado.

***

— Ethan, por favor, compareça à recepção. Ethan, por favor, compareça à recepção. — Soava a voz da Enfermeira Joy pelos alto-falantes do Centro Pokémon.

O garoto saiu correndo do refeitório segurando alguns pãezinhos. Com a boca cheia, alcançou em tempo recorde o balcão da enfermaria.

— Ethan, eu mesmo, presente! — Exclamou o garoto.
— Seus Pokémon estão totalmente recuperados. — Disse a Enfermeira sorridente, entregando uma bandeja com as seis PokéBolas do garoto.
— Obrigado! — Agradeceu Ethan com um sorriso sincero.

Amy e Forrest apareceram em seguida, espreguiçando-se.

— Essa pressa toda apenas pra lutar no Ginásio? Achei que você estivesse nervoso. — Comentou o moreno.
— Acordei bem disposto hoje. — Respondeu Ethan.

A Enfermeira Joy se dirigiu aos garotos.

— Vocês vão desafiar o Ginásio de Olivine? Porque ele não se encontra disponível no momento. — Disse a mulher.

Ethan encarou a enfermeira com uma expressão incrédula.

— Quê? Mas como assim?!
— O Pokémon da Líder que vive no Farol Cintilante está doente.

Os três se encararam.

— O farol do porto? Por isso que ele estava emitindo uma luz meio fraca ontem? — Perguntou Amy.
— Sim. Não só ontem, mas todos os dias desde que o Amphy ficou doente... E isso já tem um mês. Até mesmo a frota de navios do Porto de Olivine sofreu uma queda drástica, porque é perigoso chegar a noite com a luz de Amphy sendo emitida fracamente dessa maneira. — Explicou Joy.
— Mas você não conseguiu tratar o Amphy? — Questionou Forrest.
— Eu não consegui... Não tenho um tratamento super-efetivo para o câncer do Amphy... — Respondeu Joy em uma expressão triste.

Amy, Ethan e Forrest engoliram em seco.

— Câncer? — Aquela palavra arrebentou o coração de todos.
— Sim... A idade avançada do Amphy acabou diminuindo a imunidade do corpo dele e a doença atacou mais rápido. — Disse Joy.
— Bem, vamos até o Farol Cintilante. Se a Líder do Ginásio está lá, talvez nós possamos ajudar o Amphy de alguma maneira. Ou até mesmo ajudar na iluminação de lá enquanto ele não fica bom. — Sugeriu Ethan.

Os outros dois pareceram concordar.

— Por mim, tudo bem. — Afirmou Forrest.
— Eu topo. — Sorriu Amy.

Os três então se retiraram do Centro Pokémon e se dirigiram em direção à praia. De lá, seguiriam para o Porto de Olivine, onde ficava o Farol Cintilante.

O farol era enorme. Tinha uns vinte metros de altura ou mais. Ethan, Amy e Forrest admiraram a arquitetura antes de adentrar o local.

Lá dentro era bem movimentado. Vários turistas tiravam fotos da paisagem e passeavam conhecendo o local. Havia quadros de vários marinheiros e seus Pokémon pendurados nas paredes brancas do enorme farol. As janelas foram instaladas de forma que a luz do sol invadisse cada centímetro do local. Durante a noite, as enormes luminárias banhadas a ouro iluminavam tudo com suas luzes poderosas..

O grupo aproximava-se do balcão de recepção do Farol Cintilante.  Era uma jovem moça de cabelos coloridos púrpuros, olhos azuis e semblante jovem. No crachá em sua camisa, seu nome aparecia escrito. Era “Ana”.

— Bom dia. Estamos procurando a Líder do Ginásio de Olivine. — Disse Ethan.
— Ela não pode atender nenhum treinador hoje. — Disse a atendente de forma automática.
— Sim, nós sabemos que o Pokémon dela está doente... Viemos oferecer ajuda... Do que ele precisa? Diga que nós iremos resolver. — Prontificou-se o garoto.
— Sinto muito, mas vocês treinadores não podem fazer nada. — Informou a atendente.
— Na verdade... Existe uma coisa sim. — Soou uma voz feminina.

Os garotos e a atendente olharam para a entrada do elevador que ficava atrás da recepção.

— Senhorita Jasmine! — Exclamou Ana, levantando-se imediatamente.
— Eu estava indo buscar meu almoço e ouvi a conversa... Vocês estão mesmo dispostos a ajudar o meu Amphy? — Questionou Jasmine, séria.
— Eu farei o possível. É só dizer do que precisa. — Disse Ethan dando um passo à frente.
— E quanto você cobra? — Perguntou Jasmine pegando um talão de cheques do bolso do casaquinho que usava.
— Não, não, não, moça, eu não quero dinheiro! Eu só quero desafiá-la no Ginásio. — Disse Ethan, visivelmente constrangido.

Ana bateu na mesa.

— Ora, garoto, eu já disse que a Líder não pode atender nenhum treinador! — Exclamou a atendente com um olhar zangado.

Jasmine estendeu a mão.

— Está tudo bem, Ana. Eu aceito seu desafio, rapaz. — Disse a Líder de Ginásio com um doce sorriso.

Ethan sorriu.

— Mas... Antes preciso que Amphy fique bom.

Ethan engoliu o sorriso.

— Muito bem. Está certo. — Disse o garoto, sério.
— Sigam-me. — Jasmine deu as costas e se dirigiu ao elevador. Ana deu um passo ao lado e permitiu que Ethan, Amy e Forrest passassem por ela.

Amphy estava no último andar. Continuava deitado, com a respiração pesada. Ethan sacou a PokéAgenda.

“Ampharos, um Pokémon Luz. É a forma evoluída de Flaaffy. A ponta da cauda brilha e pode ser visto de longe. Ele atua como um farol para as pessoas perdidas. É considerado valioso desde a antiguidade por ser um pequeno farol.” — Informou a PokéAgenda.
— Forma evoluída do Flaaffy...? — Ethan guardou o dispositivo eletrônico e pegou sua PokéBola, liberando seu Pokémon.

Flaaffy encarou seu treinador com um sorriso e começou a percorrer aquele local estranho com o olhar.

Quando o Pokémon de Ethan encarou Amphy em seu estado terminal, um frio repentino tomou conta de seu estômago. O coração disparou. Sua respiração ficou mais pesada e profunda. Flaaffy estava estática.

Jasmine soltou uma exclamação.

— Oh! Você tem um Flaaffy! Que esplêndido! — Jasmine aproximou-se depressa da criatura.
— É uma menina. Faz um tempo que estamos juntos. — Disse Ethan, orgulhoso.
— Agora eu tenho duas coisas pra pedir pra você. — Jasmine olhou para Ethan com uma feição séria.
— Duas? — Perguntou Ethan com uma clara feição de dúvida.

Jasmine se levantou.

— A primeira é que preciso que vocês vão até a farmácia de Cianwood. Tem um remédio lá que foi feito sob medida para curar o Amphy... Eu não posso ir e deixar ele sozinho... — Disse a moça.

Ethan concordou.

— Certo, nós iremos atrás do remédio em Cianwood. — O garoto repetiu.
— Lá tem um Ginásio, então vocês podem desafiar enquanto eu ainda não posso lutar. — Complementou Jasmine.
— Um Ginásio?! Que ótimo! — Ethan exclamou alegre.
— Você pode usar esse desafio pra conter sua ansiedade, Ethan. — Sorriu Forrest.
— A segunda coisa... É deixar sua Flaaffy aqui comigo. — Jasmine pareceu ter cuidado com as palavras.

Ethan a encarou com certa ironia.

— Tá doida, mulher? Por que eu deixaria meu Pokémon aqui com você? Eu mal te conheço!

Jasmine sorriu.

— Bem... Eu administro o farol e o Amphy está doente... Como Flaaffy pode fazer luz com a ponta de sua cauda assim como o Amphy, é perfeita pro trabalho. Vamos, garoto, por favor... Eu pago a estadia em Cianwood, o transporte, tudo... Só me deixe pegar Flaaffy emprestado. — Disse a garota quase implorando.

Ethan recuou um passo e fechou os punhos.

— Mas é o meu Pokémon...

Amy aproximou-se do rapaz, apertando seu ombro direito.

— Ethan, deixa a Flaaffy aqui. Eu sei que é difícil, mas... É por um bem maior. Vai ser algo rápido, só enquanto vamos buscar o remédio.

Forrest se aproximou.

— Ela tem razão, Ethan.

Ethan afrouxou os punhos.

— Cuide bem dela... — E deu um profundo suspiro.

Jasmine sorriu de orelha a orelha.

— Muito obrigada! Ela será bem cuidada! — Exclamou a Líder de Ginásio.

***

Com alguns telefonemas, Jasmine reservou três passagens de navio para os garotos. Eles embarcariam no S.S. Aqua, um navio de luxo que sairia do Porto de Olivine. Eles seguiriam de graça para Cianwood e voltariam para Olivine, tudo por conta. Após Ethan passar no Centro Pokémon para pegar Nidoran♂, que ocuparia provisoriamente o local de Flaaffy na equipe e Scyther, que acabou ficando no lugar de Butterfree, eles seguiram para o porto. A despedida foi rápida, visto que Jasmine teve de voltar correndo para o Farol Cintilante para cuidar de Amphy e Flaaffy foi em seu encalço, olhando para trás de vez em quando para ver o navio com seu Mestre indo embora.

Ethan olhava para a Cidade de Olivine, que ficava cada vez mais distante, com um aperto no peito. Amy e Forrest se aproximaram do amigo.

— Não se preocupe. Nós vamos voltar logo. — Sorriu Forrest.
— É, relaxa. O tempo vai passar num instante. E afinal, você nem tem tanta certeza de que vai usar a Flaaffy no próximo Ginásio ou em suas próximas batalhas. — Disse Amy com um sorriso.
— Vocês tem razão... Eu devia relaxar... — Suspirou Ethan.

Os três sorriram. A partir de agora, eles tinham uma nova missão para cumprir. A pausa na jornada de Ethan, Amy e Forrest chegou, mas isso não queria dizer que eles não iriam enfrentar novos desafios...

Silver se encontrava em uma profunda caverna nas Ilhas dos Redemoinhos, próxima à Cidade de Cianwood. Estava tudo calmo por lá. Só o que se ouvia era o som da cachoeira que caía calma e serena. Por enquanto.



TO BE CONTINUED...



{ 10 comentários... read them below or Comment }

  1. MOMENTO DESABAFO + MEMES DE NOOOOOOOOO

    O Ash perdeu a liga,NOOOOOOOOOOOOOOO

    https://www.youtube.com/watch?v=ee925OTFBCA
    https://www.youtube.com/watch?v=umDr0mPuyQc
    https://www.youtube.com/watch?v=Tim5nU3DwIE
    https://www.youtube.com/watch?v=HK4SIg178m4
    https://www.youtube.com/watch?v=nle1Y9Wog3I

    Pelo menos tem o Ethan e novas noticias de Sun and Moon para aquecer meu coração de Pokemon

    MOMENTO DESABAFO + MEMES DE NOOOOOOOOOO TERMINA AQUI

    Que emocionante,o Amphy não tem a sua devida valorização no jogo ,é apenas uma pokemon doente de uma líder ,muito importante para a franquia já que no enredo dos jogos/Mangá Adventure ,ela é uma das primeiras líderes a se especializar no tipo ferro, que simplesmente se torna uma desculpa para você ir para Cianwood e a líder estar ausente,além do toque especial que é a separação da Flaffy do Ethan

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo Donnel!

      Nem me lembra disso... Acho que foi uma decepção de roteiro. Ash tava indo tão bem e perdeu de forma tosca... :(

      Amphy está na história! E que pena que é de forma tão triste... :/ Sinceramente eu espero que ele fique bom logo e que a jornada pra Cianwood valha a pena.

      Flaaffy ficou com Jasmine, que surpresa! Espero que ela cuide bem desse Pokémon de Ethan e que, logo logo, eles estejam juntos de novo. Mas eu imagino que seja bem útil ela estar com Jasmine, afinal, o Farol Cintilante precisa continuar a brilhar. =]

      Vamos torcer pela recuperação de Amphy!

      See ya, man!

      Delete
  2. Olá!

    Finalmente chegamos a Olive!
    Gostei dessa adaptação dos jogos para a história, espero que o pessoal consiga ajudar a Jasmine!

    Estou muito ansioso para o próximo ginásio e também para ver quais são os novos planos de Silver!

    PS: Vamos ter algum episódio em alto mar? Acho que seria interessante e seria um espaço completamente diferente ao que estamos habituados a ver!

    Xau!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Angel!

      Sim, após uma longa viagem, chegamos à praia! E que bom que você curtiu a adaptação. Eu sempre quero fazer algo que realmente faça o leitor saber onde está e veja que aquele evento do jogo está presente na história, mas ao mesmo tempo, que tenha um certo "ineditismo", afinal não acho que o público que acompanha a história queira ler uma cópia exata do jogo (afinal, pra isso, ele leria o detonado ou jogaria ele mesmo o jogo).

      Confesso que a cada Ginásio eu também fico bastante ansioso por sempre querer trazer uma batalha diferente da antecessora e até agora eu acredito que não tenha decepcionado nesse quesito. Kkkk

      Sobre os episódios em alto-mar: Por que não? É uma ótima ideia! Vamos ver o enredo que o capítulo de amanhã trará pra nós. =D

      See ya, man!!

      Delete
  3. Yooooooooo

    Quem dera subir no farol fosse facil assim só pegar o elevador e pronto,mas não você tem que subir ele inteiro e nem pra ganhar uma passagem pra ir pegar o remédio, se vira ai no mar e dá um jeito de trazer o remédio huashuashuashuashus

    Será que o flaffy vai evoluir?Dai o Ethan volta e tem um Mega Ampharos esperando por ele
    Mano você ta querendo despertar o Lugia?Você tem sérios probleminhas precisa se tratar e parar com esses planos de destruição e despertar de montros do fundo do mar (mesmo que não sejam water-type)

    See Ya

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Dark!

      A vida não é fácil. Por isso que no mundo paralelo de AeJ, o Farol Cintilante e também Jasmine, colaboram com os protagonistas. kkkkk

      Espero que o Ethan evolua, afinal, tá com uma Líder de Ginásio, né? Ansioso pro Ampharos!

      Lugia? Ah, uma hora ele tem que aparecer né? HEAUHEAUAHEUAH

      Espero que você continue curtindo!

      See ya, man!

      Delete
  4. Finalmente chegamos a um dos arcos mais importantes de Aventuras em Johto. Mal posso esperar para reler tudo que você tem guardado para a cidade de Olivine! E o engraçado é que nesse meio tempo ainda tem Cianwood, que vai ser algo mais separado, porém mantendo ligação com Olivine. É como se você tivesse feito um arco dentro de outro. É meio estranho, mas eu acabei enxergando dessa forma.

    Eu tinha me esquecido que o problema do Amphy era câncer! Para mim eram apenas problemas pontuais da velhice, mas nada que fosse tão sério. Quando voltamos e revemos esses pequenos detalhes a experiência acaba se tornando muito mais intensa.

    É Ethan, sua batalha em Olivine vai ter que esperar. Mas teremos aí Cianwood para poder ver um bom confronto. Quero ver o que ele vai fazer para passar pelo Chuck.

    A propósito, curti a cena da praia, logo que eles chegaram. Foi legal vê-los dando uma relaxada depois da tensão que passaram na rota anterior. Só que é bom eles relaxarem mais um pouco, porque vem mais soco no estômago por aí.

    Até!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Sigert!

      Finalmente o arco que tanto trabalhei dá as caras. É até esquisito, porque não tem mais como voltar atrás. E a partir daqui é que as reviravoltas da história começam a acontecer. Seja o que Arceus quiser.

      Pois é! Um arco dentro de um arco onde um terceiro arco vai acontecer. É um grande arco, não é? Kkkkk É bizarro pensar nisso. Eu não pensei nisso quando eu escrevi. Acho que é aquilo: Você faz um núcleo e a partir dele, você desenvolve o resto. Cada arco fechado é meio que uma chave, uma sequência do anterior e um gancho pro próximo. E espero ter conseguido concluí-los sem deixar dúvidas.


      Todo buraco é mais embaixo. Nos jogos, as coisas acabam sendo mais simples. Na adaptação, eu quis deixar mais dramático. E como essa é uma doença que é bem difícil de lidar, tomei a liberdade de usá-la na ficção pra poder gerar uma maior comoção entre os personagens. É claro que, quanto mais velhos vamos ficando, mais suscetíveis a doenças nós vamos ficando. E com o Amphy não deve ser diferente.

      Ciawood tá aí, né? A irmã perdida de Dewford. A batalha de Ginásio contra Jasmine (ainda) não rolou, mas espero que a viagem à ilha isolada do continente valha a pena. Até você vai ter que esperar um pouquinho pra ver como o Ethan vai se sair nessa batalha de Ginásio, já que eu sempre tento fazer uma batalha diferente a cada desafio. E a cada vez é um desafio bolar coisas novas. kkkkkk

      Ah, as férias... Até os personagens que quase sofreram um atentado merecem às vezes. Pegar um bronze antes do próximo baque é sempre bom, né? UAHUAHAUHAUAH

      Espero que você esteja curtindo!

      See ya!

      Delete
  5. Já cheguei no episódio e sou acometido por sentimentos intensos kkkk Eu não fazia ideia de que eles chegavam em Olivine ainda no Capítulo 32, esse Arco foi enorme então! E pensar que eles ainda passarão por tanta coisa... Jasmine, prepare-se. Devo ser o único leitor que leu tudo na ordem errada, mas nossa, me sinto até bad sabendo o que vai acontecer mais pra frente. Achei bacana que até a Ana, a atendente, já tinha dado as caras aqui. É ótimo a maneira como você guarda seus personagens mais secundários para usá-los lá na frente. Normalmente eu estaria feliz porque os protagonistas chegaram num cenário litorâneo que são os meus preferidos, na esperança de que eles passariam por bons momentos de descanso. Mas agora só consigo esperar pelo pior. Adorei conferir o início desse arco! Os capítulos em Olivine para mim são insuperáveis kk

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yo, Canas!

      Sentimentos intensos: Estamos lidando muito com eles por aqui esses tempos, não acha? kkk

      Olivine é um arco que eu adorei escrever. Foi o divisor de águas de AeJ, o arco que começa a desenvolver de fato nossos personagens. E ele começa bem antes daquilo, quase como um prólogo, apresentando as perguntas, as dúvidas, que serão respondidas mais pra frente.

      Eu gosto de personagens secundárias. Eu acredito que eles são importantes sim, tem vida própria, e deixar eles esquecidos no limbo não é muito legal. Nem os líderes de Ginásio, mesmo que não mencionados, deixaram de aparecer, sumiram pra sempre. Tenho algumas coisas guardadas pra eles ainda, mas é segredo! hehehe.

      Quem diria que a praia, lugar de férias, seria um local onde os sentimentos falariam tão alto? Talvez seja nesses ambientes que a gente acabe ficando confortável o suficiente pra poder botar eles pra fora, não acha?

      Espero que continue curtindo!

      See ya!

      Delete

- Copyright © 2015 - 2018 Aventuras em Johto - Dento (Willian Teodoro) - Powered by Blogger - Designed by CanasOminous -